quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Top 5: Os Cinco mais terríveis Avatares de Nyarlathotep


Nyarlathotep é uma das entidades mais fascinantes e estranhas da mitologia criada por H.P. Lovecraft. Chamado de "a alma e o mensageiro" dos Deuses Exteriores, ele cumpriria tarefas em nome dos Antigos tendo livre acesso em todas as dimensões e planos de existência. Até mesmo a Corte de Azathoth, no centro do Universo, depende de Nyarlathotep que provê tudo aquilo que é necessário para o Demônio Sultão.

Conhecido como "O Caos Rastejante", Nyarlathotep é um intermediário entre os Antigos e seus cultistas. Estudiosos dos Mitos tem diferentes opiniões a respeito da relação de Nyarlathotep com a humanidade. Ao contrário da maioria das entidades dos Mitos, que se importam pouco ou em absoluto com a humanidade, Nyarlathotep demonstra especial interesse na raça humana. Em várias ocasiões ele teria se apresentado diante de pessoas especialmente escolhidas trazendo dádivas, sejam estas magias ou conhecimento científico. Infalivelmente estes presentes conduzem à uma espiral de loucura e destruição. Aparentemente Nyarlathotep sente enorme prazer assistindo suas vítimas se destruírem e trazer a ruína sobre os que estão à sua volta. A inevitável comparação é a de uma criança com uma lente de aumento diante de um formigueiro num dia de sol.

Inúmeras profecias alertam que Nyarlathotep eventualmente destruirá a humanidade e o planeta. Alguns acreditam que o plano final e a definitiva piada cósmica do Caos Rastejante será transformar a Terra em um Cemitério Colossal, tudo através de seus seguidores.

As lendas afirmam que Nyarlathotep possui 1000 formas diferentes e que cada uma desempenha uma determinada função em seu interminável jogo cósmico. Ao longo das eras, Nyarlathotep foi reverenciado sob inúmeras formas em todas as partes do mundo. A seguir, os cinco avatares mais conhecidos e aterrorizantes do Caos Rastejante.


Quinta Posição: The Haunter in the Dark

"Eu vejo - vindo em minha direção - vento infernal - um titã enevoado - asas negras - Yog-Sothoth me salve - o olho faiscante"
Um dos mais famosos avatares de Nyarlathotep aparece no conto "The Haunter in the Dark" escrito por Lovecraft com colaboração de Robert Bloch. Essa monstruosidade alada parece um imenso morcego feito de sombras vivas. Ao se mover ele deixa um longo rastro como fumaça negra e segundo alguns sua conscistência semi-corpórea permite que ele atravesse objetos sólidos. A face dessa aberração possui um único olho faiscante separado em três lobos.
A blasfema Igreja de Starry Wisdom na cidade de Providence talvez tenha sido o culto mais organizado devotado ao Haunter of the Dark. Os cultistas detinham em seu poder um artefato alienígena conhecido como o Trapezoedro Brilhante, capaz de invocar a entidade durante seus rituais.
O Haunter in the Dark existe apenas em lugares privados de luz, trata-se de uma entidade de sombras e escuridão extremamente poderosa nesses ambientes. Contudo, luz intensa é capaz de banir o Haunter in the Dark de volta a sua dimensão.


Quarta Posição: The Wailing Wither

"E onde Nyarlathotep trilhou, o sossego desapareceu, e as horas foram preenchidas pelos gritos de pesadelos".
Um horror primal, composto de inúmeros tentáculos agrupados em uma espiral serpenteante que voa pelos céus espalhando caos e insanidade. Ao longe a visão pode se assemelhar a uma coluna de vermes negros. O avatar forma em seu corpo horríveis bocas que gemem, gritam, gargalham e babam. Ouvir as palavras incoerentes pronunciadas por essas bocas pode transformar o mais racional dos homens em um completo insano.
Essa manifestação é citada na mitologia Hindu como um dos muitos demônios e entidades malignas que tentam os homens e os levam a cometer atos impensados. Na tradição vedica sânscrita, o Wailing Wither é chamado de Narhari, um demônio que possui o corpo dos homens com o intuito de causar desgraças e tragédias. Supõe-se que existam rituais de exorcismo para banir o Narhari do corpo das pessoas.
Algumas das formas "humanas" de Nyarlathotep quando feridas fisicamente se desfazem, assumindo a medonha forma do Wailing Writher.


Terceira Posição - O Homem Negro

"Ela falou também com o Homem Negro, patrono dos sabás das bruxas, e soube seu nome verdadeiro..."
Conhecido como o patrono dos sabás das feiticeiras, o Homem Negro desempenha um importante papel no misticismo ocidental. Trata-se de uma entidade que compartilha conhecimento na forma de segredos arcanos e magia e comumente aparece associada com bruxas. O Homem Negro porta o blasfemo "Livro de Azathoth" que contém todo o conhecimento místico do universo, aqueles que assinam seu nome com sangue nesse tomo podem ler de suas páginas, mas ao fazê-lo aceitam servir eternamente ao Homem Negro.
Ao longo da história, o culto ao Homem Negro se espalhou pela Europa Continental, chegando até a Inglaterra e posteriormente sendo carregado para o Novo Mundo. Durante a histeria da Caça às Bruxas em Salém, o Homem Negro era reverenciado por notórias feiticeiras como Keziah Mason. Há relatos que o culto do Homem Negro teria se originado entre cavaleiros templários retornando das Cruzadas, mas esta suposição pode ter sido engendrada para difamar as ordens de cavalaria.
O Homem Negro possui forma humanóide, com a pele negra como a noite, sem cabelos ou pêlos e trajando um manto comprido e escuro. Alguns acreditam que ele possui pernas de bode terminando em cascos fendidos. Algumas lendas assumem que esse Avatar de Nyarlathotep é sinônimo ao demônio da tradição cristã. O modus operandi, dessa entidade encontra eco em várias estórias envolvendo a demonologia clássica. O Homem Negro oferece benefícios em troca da servidão, da alma e da completa devoção. Ele abençoa rituais de bruxas, recebe sacrifícios de sangue e em troca ensina magias e concede poderes sobrenaturais aos seus protegidos.


Segunda Posição: The Dweller in Darkness

"Uma vasta criatura amorfa... sem face trazendo apenas uma cabeça em forma de tentáculo escarlate... que parece enervantemente fluido alcançando alturas absurdas. Três pernas em uma estrutura inumana que se move pelos campos e montes, cruzando as distâncias envolto pelo manto da noite".

Esse horrível avatar de Nyarlathotep vaga apenas à noite e é uma das formas mais tradicionais que a entidade assume quando invocada pelos seus cultistas.

O Dweller in Darkness é um colosso tenebroso, grande como um prédio que se manifesta em lugares considerados sagrados e tidos como importantes para o Deus. Há vários lugares do mundo que se encontram sobre a proteção dessa entidade, onde ela pode se manifestar através de rituais ensinados aos seus cultistas. Para citar apenas alguns: As Florestas da Nova Inglaterra, nas Selvas do Vietnã, no deserto do Atacama no Chile, nas Colinas de Golan em Israel e em boa parte do Egito. Quando invocado, o Andarilho das Trevas vaga sem destino causando morte e destruição a tudo o que cruza seu caminho. A mera visão dessa entidade causa confusão e loucura, e os poucos sobreviventes que testemunham sua passagem são incapazes de explicar o horrível encontro com a monstruosidade.
Há rumores de que as cidades malditas da antiguidade, Sodoma e Gomorra teriam sido aniquiladas pela manifestação do Andarilho das Trevas. Na América do Norte, os indígenas norte americanos relatam o surgimento dessa entidade responsável por varrer da existência tribos consideradas impuras.


Primeira Posição: O Faraó Negro

"A personificação do mal, cruel e brilhante, o Faraó ascende ao trono e os mortais choram e se lamentam em agonia".



Um homem alto de orgulhosa estirpe egípcia, vestindo magníficos trajes ancestrais e a coroa de faraó pendendo em sua cabeça. Este talvez seja um dos mais conhecidos e temidos avatares de Nyarlathotep. Em tempos ancestrais, o Faraó Negro governou vastos territórios do Antigo Egito e submeteu a orgulhosa nação do Nilo à sua vontade de ferro.


Nyarlathotep parece estranhamente a vontade nessa forma e a veste sempre que deseja encontrar com humanos que desperatam seu interesse ou atenção. Usando a identidade do Faraó Negro, ele foi incorporado ao Misticismo Egípcio sendo citado em um volume censurado do Livro dos Mortos como o Deus Negro, o Senhor do Submundo, Mestre da Noite e Patrono dos Feiticeiros. Comenta-se que o Faraó Negro tenha sido banido pelo povo do Egito há milênios e que todos os registros de seu governo tenham sido apagados, bem como os monumentos erigidos em sua homenagem destruídos. De tempos em tempos contudom, artefatos tendem a aparecer e intrigar os arqueólogos. Alguns crêem que o Faraó simplesmente cansou de ser homenageado e reverenciado e partiu.

Embora humano em aparência, o Faraó Negro é dotado de poderes sobrenaturais que o tornam muito mais do que um humano. Ele é um simulacro que concentra os poderes infinitos de uma divindade. Sua crueldade também é legendária, sempre disposto a glorificar o Caos e a Destruição, o Faraó Negro promoveu massacres e sofrimento sem igual.

Há rumores que o Faraó Negro seria a verdadeira identidade do espírito Aiwaz, que segundo o ocultista inglês Aleister Crowley ditou o "Livro da Lei". Para outros, o Faraó Negro será o Avatar escolhido por Nyarlathotep quando ele decretar o fim da humanidade.

9 comentários:

  1. Excelente este post, extremamente explicativo e resumido de uma maneira inteligente.
    Para quem é nerd e gosta de Lovecraft, eu achei uma espécie de tamagotchi só que o bichinho é o cthulhu. Está na google play store e se chama cthulhu virtual pet. iuahiuahaiuaaiuhaiuaiuhaiu
    Vivam os nerds \o/

    ResponderExcluir
  2. Nerdcast me trouxe aqui. Viva NYARLATHOTEP

    ResponderExcluir
  3. caralho to de cara que o nyarlathotep é o Randall Flagg

    ResponderExcluir