quinta-feira, 8 de abril de 2010

Criptozoologia do Mythos | O verme gigante da Mongólia

Ok, o título desse artigo parece uma brincadeira, mas não é.

A Criptozoologia, é um ramo pouco conhecido da ciência biológica que se refere ao estudo, pesquisa e reconhecimento de animais incomuns e tidos como lendários. Nisso podemos incluir o pé grande, serpentes gigantescas, chupacabra, monstro de LochNess e outras criaturas que ocupam a fronteira entre o fato e a ficção.

Especialistas tentam estabelecer através de relatos e análises de laboratório similaridades entre animais já conhecidos e criaturas que fazem parte do folclore. Foi assim que alguns alegados ossos de dragões, foram identificados como fósseis de dinossauros e como os restos de krakens foram identificadas positivamente como uma espécie de lula gigante.

Os estudiosos da criptozoologia buscam há décadas a comprovação da existência de um animal que habitaria as planícies remotas do Deserto de Gobi, na Mongólia. A criatura em questão é conhecida como o Verme Gigante da Mongólia, também chamado de Mongolian Death Worm ou no idioma local pelo nome de olgoi khorkhoi (que pode ser traduzido como "verme de intestino", nome derivado do fato da criatura se assemelhar a um intestino de vaca).

O Verme Gigante chamou a atenção de estudiosos a partir da pesquisa do Professor Roy Chapman Andrews que recolheu relatos sobre a criatura em sua expedição paleontológica em 1926. Trata-se de um mito bastante difundido entre as tribos nômades que habitam essa região, uma das mais inclementes do mundo.

O animal é descrito como um verme de coloração avermelhada ou ferruginosa, que mede algo entre 1 e 5 metros de comprimento e se move por baixo do terreno arenoso. A criatura seria conhecida por atacar animais e até seres humanos brotando da terra de surpresa e se fixando com grandes pinças na vítima. A lenda afirma ainda que o verme possui uma característica única: ele regurgita uma mistura corrosiva, uma espécie de ácido bilear. Para alguns, o ácido pode até ser cuspido á distância tornando o verme ainda mais perigoso.


A existência do verme, jamais foi documentada, contudo os povos que vivem no Gobi acreditam que ele existe e habita as regiões mais insalubres ao sul do Deserto. Ele passaria a maior parte de seu ciclo de vida enterrado no solo em estado de hibernação, despertando apenas para se alimentar. O animal tiraria seu sustento de depósitos subterrâneos de sais minerais e água, mas também seria capaz de se alimentar de animais e até de pessoas.


Os nômades tem um profundo respeito e medo desses vermes. Tocar um desses animais segundo o mito é uma atitude temerária, uma vez que ela é coberta pela substância ácida extremamente venenosa. Há lendas bastante antigas que mencionam vermes enormes surgindo no solo para derrubar cavalos para depois se alimentar deles, deixando o cavaleiro no meio do deserto. Para alguns, o movimento dos vermes poderia ser sentido no solo e seria capaz de provocar deslizamentos e abrir fissuras. Terremotos também estão associados a eles.

Uma das hipóteses, muito contestada, para a existência do Verme é que ele seria um descendente de enguias elétricas que teriam habitado o deserto de Gobi na pré-história, quando ali existia um mar interno que se estendia até os Urais. Outras possibilidades aviltadas envolvem relacionar o Verme com uma espécie de serpente cuspidora ou lagarto sem patas.

Várias expedições procuraram a comprovação da existência desse estranho animal, a mais recente ocorreu em 2009 e foi patrocinada por um canal de TV da Nova Zelândia. Embora narrativas detalhadas sobre o verme tenham sido obtidas, provas factuais no entanto não foram encontradas.

O mais provável é que esse animal não exista, contudo trazendo-o para a ficção é possível vê-lo sob uma perspectiva bem interessante... como um monstro dos Mitos de Cthulhu.

O animal se assemelha a uma típica criatura lovecraftiana. Um verme incomum, que povoa o imaginário coletivo das pessoas em uma região totalmente isolada e num ambiente hostil? Sua descrição remete diretamente aos horrores subterrâneos de Brian Lumley, os Cthonians, e os gigantescos monstros em forma de verme, os Dholes.

Abaixo elaborei uma ficha dessa criatura e algumas idéias de como usá-lo em um cenário de Call of Cthulhu.

Vermes Gigantes da Mongólia, Raça Independente Menor

"Era um enorme verme projetando-se do solo como uma torrente encarnada. Ele se movia rapidamente, com as pinças abrindo e fechando, gotejando uma espécie de bile amarelada, a mesma que recobria seu corpo avermelhado conferindo-lhe uma aparência molhada e oleosa. O fedor que emanava dele era hediondo. Apenas olhar para a criatura causava um misto de pavor e repulsa indescritíveis".

STR 3d6 x2
CON 3d6 +10
SIZ 3d6 +10
INT 1d6 +6
POW 3d6
DEX 2d6

Movimento: 6
Av. Damage Bonus: +2d6
Ataques: Mordida 55%, dano 1d4 +db
Regurgitar Ácido 40%, dano 1d10 (por 1d6 rounds, ou até ser removido)
Armor: 2 pontos de músculos e carapaça.
Habilidades: Captar ondas 85%, Listen 30%

Sanidade: 1d2/1d6 pontos de sanidade por ver um Verme Gigante da Mongólia, espécimes muito grandes podem ter um custo de 1d3/1d20

Essas criaturas são parentes distantes dos gigantescos vermes gigantes conhecidos como Dholes. É possível que eles sejam originários da Terra dos Sonhos, invocados através de magias e rituais conduzidos por feiticeiros no Deserto de Gobi e presos em nossa realidade incapazes de retornar ao seu local de origem.

Adaptando-se muito bem ao ambiente hostil do Deserto de Gobi, os vermes gigantes passaram a viver em regiões distantes. Como precisam de muito pouco para garantir a subexistência eles raramente são encontrados. Dotados de uma inteligência rudimentar, essas criaturas são capazes de formular planos e de executar estratégias de caça. Extremamente territoriais, os vermes atacam invasores detectando ondas de choque no solo. Um verme gigante é capaz de sentir a aproximação de um humano adulto pelos seus passos ou de um veículo motorizado há quilômetros de distância. Uma vez atraídos dessa forma eles buscam atacar o invasor e depois arrastar seu corpo para dentro da terra.

Entre os ataques dos Vermes, nenhum é mais temido que o ácido que pode ser "cuspido" a uma distância igual a destreza da criatura em metros. A substância é incrivelmente corrosiva e grudenta, fixando-se à pessoa, causando dano contínuo até ser removido (raspado de preferência) ou até seu efeito cessar. O verme é capaz de acumular uma quantidade de ácido suficiente para cuspir duas ou três vezes a cada hora.

Estes animais podem se alimentar de carne e preferem arrastar suas presas para câmaras subterrâneas onde as devoram regurgitando o ácido sobre os restos que depois é sugado. Encontrar uma vítima cujo corpo foi dissolvido dessa forma ocasiona a perda de 1/1d8 pontos de Sanidade.

Ganchos para Cenários:

- Na década de 20, a Mongólia disputava com a África o título de Berço da Humanidade. Muitos antropólogos acreditavam que no Deserto de Gobi poderiam ser encontrados fósseis humanos que comprovariam essa teoria. Uma Expedição da Miskatonic University (ou qualquer outra instituição ocidental) segue para o Sul do Deserto de Gobi em busca de indícios. Infelizmente a expedição descobre algo mais terrível do que fósseis.

- Uma tribo de nômades, descende dos cultistas e bruxos que trouxeram os primeiros vermes gigantes da Terra dos Sonhos. esses fanáticos continuam realizando seus ritos profanos sacrificando vítimas às criaturas. O plano deles é atrair com sacrifícios um enorme Dhole, que eles veneram como sua divindade. Ajudando o governo chinês em uma expedição de prospecção de petróleo, os investigadores terão de lutar pela sua vida enfrentando cultistas e monstros no deserto.

- Os investigadores seguem o rastro de uma expedição desaparecida e descobrem qual o destino de seus membros ao se confrontar com a descoberta de um complexo subterrâneo infestado pelos vermes gigantes.

- O grupo descobre vestígios do que parece ser uma cidadela perdida no meio do deserto. Na verdade, o lugar é uma ruína que no passado distante foi um posto avançado usado pelos Elder Things. No lugar existe um portal desativado que se for acionado permitirá uma exploração do passado pré-histórico da região. Um velho livro cita a existência desse lugar, mas falha em mencionar que ele atraiu a presença de Vermes Gigantes que se tornaram guardiões das ruínas.

2 comentários:

  1. Grande King! Pode publicar a lista das 100 insanidades aqui no Mundo Tentacular na hora que quiser!

    Um abraço e nos vemos no RPGCon! :)

    ResponderExcluir