segunda-feira, 14 de maio de 2012

Páginas Perdidas - O legendário Livro Egípcio dos Mortos finalmente completo


As últimas páginas perdidas do místico "Livro Egípcio dos Mortos ", escrito pelo sacerdote Amenhotep foram finalmente encontradas após uma longa busca de mais de um século, em um museu na cidade de Queensland na Austrália.

O egiptologista Dr. John Taylor do Museu Britânico se disse surpreso com a descoberta de aproximadamente 100 fragmentos pertencentes ao documento original que compõe a mais antiga versão do Livro dos Mortos encontrada até hoje.

Esta é a conclusão de uma longa busca empreendida por arqueólogos ao redor do mundo pelos valiosos papiros que relatam os segredos da vida após a morte e contém magias ritualísticas necessárias para garantir ao espírito uma jornada segura pelo mundo além.

A descoberta foi feita quase por acaso pelo Dr Taylor que encontrou os manuscritos em exposição como parte do acervo do Museu de Queensland.

O Dr. Taylor com um dos fragmentos do Livro dos Mortos.
  "Havia apenas alguns documentos em exposição, mas quando comecei a examinar com mais cuidado os documentos concluí imediatamente que se tratava de algo diferente, algo que até então os estudiosos não haviam tido acesso". Pasmo com a descoberta, Taylor não imaginava que os papiros eram apenas parte de uma coleção muito maior cuidadosamente guardada no arquivo do museu.

 "Estes papiros que por tanto tempo ficaram em exposição como itens triviais da história egípcia, são parte de um tesouro inestimável. O valor histórico desses documentos é incrível".

Os especialistas acreditam que a coleção pertenceu ao chefe construtor do Templo de Amun e que eles tenham sido escritos há pelo menos 3500 anos atrás (por volta de 1450 antes de Cristo).

Partes do Livro dos Mortos podem ser encontradas em vários museus mundo afora. As maiores coleções estão no Museu Britânico, no Museu de Arte de Boston e no Metropolitan Museum of Art (MET) em Nova York. Entretanto, arqueólogos nunca haviam reunido todas as partes do livro, vários trechos haviam desaparecido e tudo indicava que seria impossível encontrá-los.

O Livro Egípcio dos Mortos é um vasto manuscrito religioso que narra a jornada das almas no Mundo Espiritual e o percurso do espírito no mundo do além, o Duat. O texto explica como realizar vários rituais desde a purificação e preparação dos cadáveres até as palavras que devem ser entoadas para ajudar o espírito à medida que ele viaja pelo submundo. O Livro dos Mortos era usado nos ritos fúnebres de indivíduos ilustres e passagens inteiras eram pintadas ou escritas em hieróglifos nas paredes das câmaras funerárias ou nos sarcófagos.

Os pergaminhos encontrados na Austrália são únicos em forma e conteúdo. Eles incluem desenhos e padrões artísticos nunca antes vistos e uma grande inscrição no verso do documento que indica se tratar de um tesouro que um dia pertenceu a uma pessoa de consideráveis posses e influência.

Parte do Livro dos Mortos em exibição do Museu Britânico em Londres.

Segundo o curador do Museu de Queensland, os documentos foram doados por um colecionador anônimo há mais de 100 anos e desde então parte deles ficou em exposição na ala dedicada a História Antiga do Museu. A instituição não é devotada exclusivamente a egiptologia, por isso a importância dos documentos permaneceu ignorada até recentemente. É possível que os documentos tenham sido comprados por algum colecionador em viagem pelo Egito no século XIX. Naquela época era muito comum que saqueadores e vendedores de tesouros oferecessem a estrangeiros artefatos antigos. Os documentos devem ter sido comprados sem que a pessoa sequer imaginasse do tratavam.
    
"É gratificante saber que o Museu de Queensland foi o guardião de um tesouro tão importante. Ficamos felizes de ter preservado esses artefatos incrivelmente frágeis por mais de um século". disse o curador, Sr. Bates.

Após a descoberta, o documento será digitalizado e meticulosamente reunido aos demais fragmentos para que finalmente o livro possa ser completado. Os pesquisadores estão exultantes com a descoberta, uma das mais importantes na última década.

*   *   *

E em algum lugar, além do tempo e do espaço, um sorriso sardônico se desenha na face do Faraó Negro, Nephren Ká.

Após milênios de espera, ele sussurra: "Finalmente!"

O mais legal é que uma aventura que escrevi chamada "A Mortalha do Faraó Negro" constava a descoberta de capítulos Perdidos do Livro dos Mortos. Mas no caso, esses capítulos perdidos se referiam especificamente a trechos censurados pelos sacerdotes por tratarem entre outras coisas de vasto conhecimento do Mythos de Cthulhu.

Que surpresas esses trechos perdidos do Livro dos Mortos reservam aos pesquisadores?  

2 comentários:

  1. Joguei esta aventuera na RPGCON de 2011.

    Bem interessante este post. O q acontecerá qdo as partes forem reunidas??

    ResponderExcluir
  2. Fantástico,finalmente o elo perdido que completa a história foi encontrado...


    ResponderExcluir