domingo, 25 de agosto de 2013

Gen Con Indy 2013 - Viagem até a Meca do RPG (Parte 3)


Pessoal, segue o artigo final com mais algumas fotos e comentários sobre a GenCon 2013.

Numenéra:

Tive a chance de passar ainda que rapidamente no stand da Monte Cook Games, a editora do conhecido autor Monte Cook responsável por livros bastante elogiados, sobretudo no sistema D20.

Não cheguei a falar com ele, pois ele estava dando uma entrevista, mas não podia deixar de conferir o lançamento da sua nova ambientação, Numenéra. Infelizmente não cheguei a comprar esse livro, mas pessoal, ele parece ser algo muitíssimo interessante. O conceito dele é ser um RPG de Fantasia clássico, mas projetado para várias mídias: games, desenho animado, até filmes...

A produção de Numenéra talvez seja uma das impressionantes que já vi. O livro é maravilhoso (quase 450 páginas) em papel de qualidade, colorido, com ilustrações de tirar o fôlego. O selo Numenéria acompanha camisas, bonés, vídeos, dados personalizados, miniaturas... é algo grandioso. A ideia deles é no mínimo ambiciosa, Numenéria se tornar um dos RPG mais conhecidos e jogados dentro de alguns anos.

Se vai dar certo? Bom, só esperando para ver, mas o Kickstart dele foi um sucesso e o movimento no stand estava bem grande.
   
Poster do Numenéra - os valores de produção são incríveis, sem dúvida, desde já, desponta como um grande concorrente ao Ennies ano que vem.
Outro poster do Numenéra.
E um flagrante do autor: Monte Cook
Wizards of the Coast - D&D Play 

Algumas pessoas perguntaram: "Poxa, mas cadê o Dungeons and Dragons"? ou "Não tem D&D nessa convenção?"

A resposta é SIM, claro, que havia Dungeons and Dragons na GenCon. O grande diferencial é que a Wizards of the Coast não teve um stand e sim uma área inteira para seus jogos. O D&D Play.

Entrada para o D&D Play
A entrada com jeito de ruína de castelo
O D&D Play era uma área que ocupava boa parte de um pavilhão do Centro de Convenções. Ela contava com várias mesas de jogo, um Torneio de D&D com as novas regras, uma estação com demonstrações do D&D Next, venda de miniaturas, artistas fazendo desenhos de personagens na hora e uma loja para compras de produtos. Teve ainda vários seminários e palestras de autores da editora falando a respeito do futuro do D&D e como vai ser a quinta edição.

Essas palestras, no entanto, estavam lotadas e não deu para conferir.

O que pude ver é o investimento da Wizards em um modelo diferenciado para o Tabletop RPG. Muita ênfase em unir o jogo de mesa ao uso de tablets e notepads. Vi várias mesas onde todos os jogadores usavam tablets como ficha de jogo e o grid de combate ficava no computador no centro da mesa em uma apresentação em 3D. Os personagens eram montados na hora e cada jogador podia escolher seu avatar e montar a imagem dele. Bem legal a proposta, embora eu francamente seja meio tecnofóbico demais para esse tipo de coisa... papel e lápis ainda é mais a minha zona de conforto.

Logo atrás da entrada do "Castelo D&D Play" a gente dava de cara com isso:


É, Loth a Deusa Aranha dos Drows fez uma visita a GenCon 2013. Pessoas, a estátua é imensa, quase dois metros e meio de altura e mais de três de comprimento. Como fiquei babando em cia dela, aproveitei para tirar várias fotos:

Ao lado da Queen of the Spiders
O pessoal podia tirar uma foto com uma espada, como se estivesse lutando com ela.
O bacana é que a placa ao lado avisava que as dimensões estão corretas. Esse seria o tamanho original de Lloth conforme imaginado pelos seus criadores.  Percebam a perfeição da mão.
E a simpática cara dela...
Eu não cheguei a participar das atividades no D&D Play por conta do tempo reduzido do qual eu dispunha. Gostaria de ter jogado algo ou assistido uma das palestras, mas como os produtos da Wizards não eram bem a minha prioridade deixei para uma próxima vez.

Pagan e Arc Dream:


Dentre o pessoal mais gente boa que encontrei na GenCon, não posso deixar de mencionar a galera da Pagan Publishing e da Arc Dream.

Quando me apresentei como um fã do Brasil para o Adam Scott Glancy, ele abriu um enorme sorrido: "WHOA! Que legal! Semana passada assisti um filme de terror brasileiro, estava querendo encontrar algum brasileiro para perguntar a respeito dessa produção".

Infelizmente não teve como eu responder a respeito, pois não vi o filme que ele citou, pelo menos o título em inglês não fez muito sentido. Mas de qualquer forma, ficamos conversando a respeito de cinema um bom tempo, sobretudo sobre os filmes do Cofin Joe (o nosso Zé do Caixão) que de fato, é muitíssimo respeitado lá fora. "Eu sou muito fã do trabalho do Sr. Mojica! Os filmes dele são incríveis"! elogiou o diretor da Pagan, para quem prometi enviar o DVD do último filme "O Despertar da Besta" que saiu uns anos atrás.

Além de trocar ideias sobre cinema, fiquei sabendo que a Pagan tem alguns planos bem interessantes para o ano que vem. Um deles é a nova e esperada edição do Delta Green que deve sair na metade do ano que vem. A outra é o lançamento de um suplemento de cenários centrados nas Grandes Revoltas e Guerras civis do século XX. O livro deve se fixar em diferentes períodos e lugares, sendo que um dos cenários que eles planejam incluir no livro se passa na Guerra de Canudos no sertão do Brasil. "O potencial para esse acontecimento histórico é muito grande. Nós queremos relacionar a Guerra de Canudos de alguma maneira com o Mythos".

Depois de trocar algumas ideias, eu me comprometi a escrever algo a respeito e enviar para o pessoal da Pagan. Eles  sinalizaram positivamente: "Escreva o que você achar legal a respeito da Guerra de Canudos e eu prometo dar uma boa olhada no material. Seria ótimo que um brasileiro escrevesse o cenário". 

Diante da proposta, o que posso dizer é que quando tiver um tempo livre vou começar a pesquisar a Guerra de Canudos mais à fundo e ver o que acontece.

Ao lado do grande (grande mesmo!) Scott Glancy
Conversei também com o pessoal da Arc Dream, em especial com o Shane Ivey um dos que está trabalhando no Delta Green e responsável pela excelente revista "The Unspeakable Oath" dedicada aos jogos com ambientação lovecraftiana. Aproveitei a oportunidade para comprar meus números atrasados da revista, e fiquei sabendo que os números antigos dela, sobretudo as edições da época em que ela era um fanzine são hoje artigo de colecionador.

O exemplar da Unspeakable Oath número 2, estava sendo vendido por 100 dólares. Comentei com o Ivey que tenho o número 4, e ele ficou impressionado: "Sério mesmo? Como um deles foi parar no Brasil? Essas primeiras edições eram quase artesanais, a gente rodava numa impressora matricial". Pois é... eu comprei ela numa RPGRio, lá na metade dos anos 1990.

E esse é o Shane Ivey, o diretor da Arc Dream
Brom:

O legal da GenCon é que você anda pelos corredores do Exhibit Hall e acaba encontrando certas coisas inusitadas. Como por exemplo o stand do talentoso artista Brom. Ele é um dos meus ilustradores favoritos, então aproveitei para dar uma palavrinha rápida com ele e pegar sua assinatura em um suplemento de Dark Sun que eu tive a sorte de encontrar no Leilão (e comprar por 5 dólares!!!).

"Ah, lembro desse desenho! Eu gostava muito de trabalhar com Dark Sun", disse enquanto assinava a capa do meu livro. 

Engraçado, eu sei que tirei uma foto ao lado do Brom, mas ela acabou não saindo... então ficamos apenas com essa de bem longe.

Outro autor que tive muita sorte em encontrar foi o lendário Tracy Hickman, um dos nomes remanescentes dos velhos tempos do AD&D, muito ligado sobretudo a Dragonlance.

Tracy estava lançando um novo romance de fantasia, lançado ao lado de sua esposa Laura Hickman. Dei um jeito de conseguir o autógrafo dele, apesar de não ter comprado o livro... meio cara de pau, eu reconheço, mas fazer o que. 

Aqui mais um stand bem legal, o da Catalyst Games
E os vários livros e suplementos de Eclipse Phase que estavam nos meus planos de compra, mas dos quais tive que abrir mão por questão de peso.
Cthuliana Corner:

E para os fãs de props e material de jogo para ambientações baseadas nas criações de H.P. Lovecraft, a GenCon contava com o Cthuliana Corner, onde você conseguia encontrar todo tipo de cacareco ou traquitana ligado ao universo dos Mythos.

Eu aproveitei para comprar o DVD do documentário "Fear of Unknown" e uma camisa com Lovecraft baseado no famoso poster do presidente Obama. Também achei várias camisas interessantes, mas por contenção de espaço não pude levar...

O único porém do Cthuliana Corner era o preço proibitivo dos artigos. Eu entendo que boa parte desse material era semi-artesanal, mas mesmo assim, não dá para pagar US$ 70 em uma estatueta relativamente pequena ou US$ 24 em um boné com o Yellow Sign.

Uma visão geral do stand da Esquina Cthuliana
Eu fiquei babando nesse busto de Lovecraft, mas não queiram saber o preço...
Várias estatuetas dos Mythos e horrores impronunciáveis.
Eu adorei essa estatuet(à direita) do Brown Jenkim, o rato familiar da bruxa Keziah Mason. Dava um prop sensacional para um live action ou mesmo aventura de mesa.
Vários jogos de tabuleiro inspirados nos Mythos de Cthulhu
O Leilão:

O Leilão da GenCon merece algumas palavras. Eu sempre achei curioso que no EIRPG existisse algo chamado "leilão" que eu nunca vi funcionar como tal - embora alguns digam que era um leilão originalmente. No EIRPG a coisa se limitava a um espaço onde livros de RPG antigos eram oferecidos em caixas com preço fixo para quem os encontrasse e quisesse comprar. Nada muito elaborado.

O Leilão da GenCon é exatamente o que sugere o nome. Os artigos são trazidos à frente e devidamente catalogados. Os interessados tem a chance de examinar os livros e dar um pré-lance. Mesmo assim, todos os itens vão para o leilão e os presentes podem dar um lance (simplesmente levantando uma placa) enquanto os leiloeiros vão aumentando o valor. Fica com o livro o último que mantiver a placa erguida. Isso se o valor não for menor do que o lance inicial, nesse caso a pessoa pode cobrir esse valor para levar o lote se realmente o quiser.

Parece complicado, mas na prática funciona perfeitamente. Eu assisti parte do Leilão de jogos de tabuleiro (MUITA coisa legal!) e parte do leilão de RPG. Haviam muitos livros raros, na grande maioria livros de AD&D e D&D 3edição, mas tinha espaço para material bem mais raro e antigo. As únicas coisas que arrematei no leilão foram dois suplementos de AD&D/Dark Sun que faziam parte de um lote único. O livro Thri-Kreen of Athas e o Slave Tribes saíram por meros 8 dólares Meu lance foi o único, para falar a verdade e acabei levando sem disputa.

Mas nem tudo era tão em conta. Vi material de D&D clássico atingindo fácil 100, 150 dólares... mas aí não quis me meter na disputa. 

A área do leilão da GenCon.
A exposição de itens que seriam leiloados.
Doctor Who Corner

Recentemente eu me tornei um grande fã do seriado Doctor Who e estou tentando assistir o que posso desse programa clássico. É ficção científica da melhor qualidade. Aparentemente Doctor Who já é uma febre nos EUA, com muitos produtos bacanas e por isso ganhou uma área inteira destinada às aventuras do Lorde do Tempo.

Lado a lado com um letal Dalek! Exterminate! Exterminate!
Embarcando na legendária Tardis!
Mais uma vez enfrentando a fúria do Dalek.
Produtos dos mais variados tipos à venda no Doctor Who Corner.
E uma foto para fazer valer o lado Treker. Quando eu teria a chance de tirar uma foto e ganhar o autógrafo de Walter "Chekov" Köenig da série clássica Star Trek? Muito legal!

O mais bacana foi ele apontar para a minha camisa e perguntar: "Esse aí é o Cthulhu"? Caramba!

Essa quase já valeu a viagem!


Bom é isso... eu recomendo muito para quem é fã de RPG e quer conhecer o que é realmente um MEGA-EVENTO. Organizado, bem feito e extremamente divertido para todos os participantes.

A GenCon é uma daquelas experiências inesquecíveis que vale a pena ser visitada.

Eu espero voltar um dia...

Um comentário:

  1. Meu amigo, espetacular narrativa. Parabéns pelas fotos. Abraços

    ResponderExcluir