domingo, 13 de abril de 2014

A Velha Malvada - Um relato de Paralisia do Sono


O artigo a respeito de Paralisia do Sono se tornou extremamente popular aqui no Mundo Tentacular nos últimos meses. Acho que o principal motivo para essa popularidade (quase 20 mil acessos e mais de 40 comentários!) se deve ao fato de que muitas pessoas se identificaram com a situação de "acordar e se ver preso em um pesadelo".

O texto menciona que essa condição é mais comum do que se imagina e que um número considerável de pessoas sofre de Paralisia do Sono frequentemente.

Desde a publicação do artigo original, recebi algumas mensagens e e-mails de leitores que queriam contar o seu próprio caso. Eu guardei alguns e-mails que mencionavam episódios estranhos envolvendo desde sombras sem forma, até cachorros pretos, passando por demônios vermelhos e outras coisas estranhas que visitaram essas pessoas na calada da noite.

Faz algumas semanas, recebi o e-mail de uma leitora aqui do Blog, que vou chamar de Thais. Ela escreveu a respeito de suas medonhas experiências com Paralisia do Sono desde a infância. Achei a narrativa interessante e perguntei a ela se eu poderia reproduzir o conteúdo de sua mensagem aqui no Mundo Tentacular. Ela concordou, pedindo apenas que eu não divulgasse o seu verdadeiro nome e endereço de e-mail.

Eu comecei a preparar a mensagem para colocar no ar, quando alguns dias depois ela mandou um segundo e-mail.

Uma vez que ela deu permissão de postar a mensagem original, não vejo motivos para não fazê-lo, e embora ela não tenha dado permissão para a segunda, vou reproduzi-la sem citar nomes. A postagem abaixo está na íntegra, não alterei nenhum elemento, nem mesmo eventuais erros de português ou digitação, marcados com um (sic).

*     *     * 


E-mail recebido em 29 de março de 2014

Oi.

Não sei se as pessoas que escreveram esses comentários tiveram mesmo alguma experiência com paralisia do sono ou se inventaram para fazer assunto. Algumas pessoas as vezes inventam coisas para contar um caso.

Mas posso falar por mim mesma e dizer que eu sofro dessas paralisias desde criança, é uma coisa assustadora, muito ruim mesmo. Quem já teve não gosta nem de falar a respeito, às vezes por vergonha, mas também por medo de que falar sobre isso pode fazer acontecer de novo. Sei que é bobagem, mas eu mesma sinto um pouco de afliçaum (sic) apenas de mencionar o assunto.

Achei esse blog por acaso quando pesquisava a respeito de Paralisia do Sono e fiquei impressionada pela quantidade de pessoas nos comentários dizendo que também sofre com isso. Por um lado é bom saber que não estou sozinha, por outro é ruim descobrir que outros são atormentados por algo que nos deixa impotentes

Quando era menina eu não conseguia dormir sozinha. Precisava ter alguém ao meu lado, meu pai ou minha mãe. Para dormir eu tinha que ter um deles do meu lado, de vez em quando eles até precisavam resar (sic) comigo. Nossa família não é muito religiosa, mas resar (sic) às vezes me tranquilizava e deixava eu pegar no sono.  

Quando acordava de madrugada tinha tanto medo que chamava por eles baixinho, torcendo para que só eles ouvissem minha voz. Na maioria das vezes eles vinham e ficavam do meu lado até eu dormir de novo. Tive sorte porque meus pais ficavam comigo sabendo que o que eu sentia era medo de verdade e não birra de criança.

Com uns doze anos mais ou menos, fui passar as férias do colégio com meus tios na casa de férias deles que ficava em S(...). Era muito bom porque eu tinha a  chance de brincar com meus primos e primas e sendo criança era ótimo aproveitar a companhia deles para fazer bagunça. Uma noite, meus tios foram a uma festa e nós, ficamos em casa prometendo que íamos ver um filme, brincar e depois ir dormir. Estávamos no interior e naquela época (era 1988) as coisas eram mais tranquilas e seguras.

Por volta da 01:00 da manhã já estávamos cansados e fomos dormir. Eram seis crianças com idades entre 10 e 14 anos, as quatro meninas ficaram em um quarto e os dois meninos no outro. Tudo estava tranquilo e silencioso e depois de um dia agitado eu lembro de estar bem cansada por isso dormi rápido.

Mas naquela noite, meu sono seria tudo menos tranquilo.

Eu lembro que o pesadelo começou quando eu ouvi os latidos do cachorro da casa. Abri os olhos assustada achando que alguém estava tentando entrar pela porta dos fundos mais (sic) no momento em que tentei falar, as palavras não saíram da minha boca. O meu rosto estava paralisado, eu não podia abrir a boca pra falar, a língua parecia pesada e dormente. Sabe quando você recebe uma anestesia no dentista? Era a mesma coisa!

Meu corpo ficou todo pesado, parecia que eu tinha sido amarrada. Nisso, percebi que minha prima mais nova também estava de olhos abertos, pálida com uma expressão de agonia no rosto como se ela também estivesse lutando para se mover. Eu ouvia ela gemendo baixo e rangendo os dentes. O rosto dela estava virado pro teto e ela estava chorando.

Pensei no que poderia ter assustado ela daquela maneira e acompanhei os seus olhos para o teto do quarto e vi uma coisa horrível lá em cima. Eu tentei gritar, tentei chamar ajuda ou correr, mas não conseguia me mexer. O que estava no teto do quarto parecia uma pessoa mas era algo que eu não conseguia descrever. Ela flutuava no ar, como se não tivesse peso e permanecia ali, imóvel sem se segurar em nada. A coisa era do tamanho de uma pessoa e eu podia ver ela mesmo no escuro. Parecia coberta com um véu preto, como uma cortina feita de seda. Os braços eram compridos e os dedos terminavam em unhas pontudas. Ela estendia os braços na direção da minha prima e passava aquelas unhas a poucos centímetros do seu rosto como se estivesse tentando arranhá-la. 

Mas o pior naquela forma assustadora era quando o véu destampava seu rosto e permitia que eu visse o que estava ali em baixo. Eu juro que mesmo agora, eu sinto um desconforto ao falar a respeito, um temor que quase me fez apagar esse texto duas vezes,. Aquela coisa era tão assustadora que pensar nela ainda me dá arrepios. Primeiro achei que era um homem, mas depois vi que era uma mulher velha. Ela sequer parecia uma pessoa, ao menos, não alguém vivo. Os olhos eram brancos, como os de um cego. Os cabelos compridos brancos e oleosos voavam no ar. Mas o pior era a boca, que abria e fechava sem parar e cada vez que ela o fazia estalava os lábios. Dentes feios e acavalados mordiam os beiços grossos e ela parecia chupar o ar. Cada vez que o fazia aquilo, sorria deixando à mostra os dentes amarelados em uma expressão maldosa.

Eu fechei os olhos, torcendo para que aquilo sumisse. Estava apavorada demais para continuar olhando, mas quando ouvi um som mais próximo não resisti. Abri os olhos e ela estava ali me encarando. Fluituava (sic) a poucos centímetros do meu rosto, tão perto que eu podia sentir um fedor de leite azedo em seu hálito. E quando ela estalou os lábios, senti saliva quente pingando no meu rosto. ela estava babando em cima de mim.  E aí tudo ficou escuro...

O que eu lembro em seguida é do meu tio me sacudindo e minha tia com olhar preocupado tentando acalmar as outras crianças repetindo "está tudo bem, está tudo bem" sem parar. Eu despertei sem fôlego, lutando para respirar.

Contei o que havia acontecido e eles ficaram procupados (sic), meus pais vieram no dia seguinte e foram muito pacientes. Não duvidaram da minha estória. Minha prima disse que não havia visto nada de estranho e apesar de jurar que não viu aquela coisa flutuando no teto, nunca mais quis dormir no mesmo quarto que eu. Engraçado como são as coisas, ela era minha prima mais próxima, mas depois daquilo nunca mais fomos amigas. Não a vejo há anos, imagino que ela tenha ficado tão assustada com o que aconteceu que nunca me perdoou pelo susto. Ou quem sabe ela viu aquela coisa e não quis adimitir (sic). 

O que aconteceu naquela noite eu nunca esqueci. Uma das meninas acordou achando que eu estava me engasgando, ela teve presença de espírito de chamar meus tios e eles vieram rápido para me socorrer.

Aquilo serviu para que eu lembrasse. Eu me dei conta que aquela não era a primeira vez que sonhava com aquela presença e que ficava paralisada meio acordada, meio dormindo. Meus pais contaram que eu havia sonhado com algo semelhante quando devia ter entre 5-6 anos. Na ocasião fiquei sem ar, desmaiei e fiquei tão pálida, que chegaram a pensar que eu estava tendo um ataque chamaram até um médico.

Após esse incidente, minha mãe disse que eu chorava de medo da coisa que eu chamava de velha malvada. Foi nessa época que comecei a ter um medo profundo de dormir sem alguém por perto que pudesse me acordar caso tivesse um pesadelo com a velha. Lá pelos 9 anos a coisa foi sumindo e eles acharam que eu tinha superado o medo, ao menos até aquele dia na casa dos meus tios.

Depois daquilo, a velha malvada apareceu mais algumas vezes, principalmente quando eu era adolescente. Em pelo menos duas ocasiões o medo me paralisou, mas acabei acordando por conta própria. Nas vezes em que ela me visitou, o sonho foi sempre o mesmo: ela surge andando no teto, escalando as paredes ou suspensa no ar imóvel sobre a cama. Ela tem um cheiro ruim, de coisa velha e estragada - que me faz sentir muito mal quando sinto um cheiro parecido. Também tenho um pouco de medo de pessoas velhas, não é um medo que me impede de chegar perto delas, mas sempre fico com receio de chegar perto de velhinhas (parece bobagem kkk (sic). 

Às vezes a velha murmurava alguma coisa mas eu jamais consegui entender o que ela dizia. Na maioria das vezes, ela apenas fica olhando, como se estivesse adorando me deixar apavorada. Uma das coisas que mais me dá medo, é justamente um dia conseguir entender o que ela fala. É como se fosse algum tipo de segredo, quem sabe, o dia em que eu vou morrer ou alguma coisa parecida.

Faz um bom tempo que a velha malvada me visitou pela última vez. Meu marido sabe da história e sempre brinca a respeito, ele nunca teve paralisia e não sabe como é. Como disse, é bom poder escrever a respeito e saber que não sou a única pessoa que sofre com essas coisas. É algo muito ruim que eu não desejo a minha pior inimiga.

Obrigado pela matéria, foi bem esclarecedora. 

*      *      * 


E foi isso.

O que a Thais descreveu é considerado como um dos tipos mais comuns de Paralisia do Sono, algo que chamam de "Old Hag Syndrome" no qual a pessoa vê um tipo de "velha feia" (old hag). Em geral essa aparição tende a ser passiva, se limitando a olhar, falar mal ou fazer gestos obscenos, mas há relatos de pessoas que sofrem falta de ar a medida que a "velha" tenta sufocá-los sentando sobre seu peito.

De fato, histórias a respeito de velhas assustadoras: enrugadas, com cabelos grisalhos e aparência de uma bruxa de contos de fada, são mais comuns do que se pensa. Se não me engano tem até uma figura do folclore brasileiro chamada "pisadeira" que é uma velha que tenta pisar ou sentar sobre as pessoas quando elas estão deitadas.

Seja como for, quatro dias depois da primeira mensagem, a Thais mandou um segundo e-mail mais curto que eu reproduzo abaixo. A mensagem foi enviada de madrugada:

E-mail recebido em 03 de Abril de 2014

Eu fiquei apavorada e ainda estou tremendo. Acordei de supetão, eu venho tendo sonhos muito ruins nos últimos dias, mas acho que não chegou a ser Paralisia do Sono. São só sonhos muito ruins, embora não lembre detalhes sobre eles. Quando acordo não sei dsobre o que eram. Fica só aquela aflição.

Meu marido disse que eu tenho me mexido muito e que cheguei a falar algumas coisas enquanto dormia, mas que ele não conseguiu entender.

Mas essa noite, o que nos acordou foi outra coisa. ouvimos gritos no quarto ao lado e levantamos assustados para ver o que era. O meu filho estava deitado na cama com o rostinho cheio de lágrima e o corpo coberto de suor gelado. Nunca vi ele daquele jeito ele estava apavorado e tinha molhado a cama. É a mesma forma como eu ficava. Ele se agarrou no pai e ficou chorando e só depois de um tempo contou que tinha visto uma velha feia andando na parede do quarto e não conseguia se mexer. Ele só acalmou quando eu levei ele para nosso quarto.

Nunca contei sobre os pesadelos que tinha na idade dele, porque ele podia ficar impressionado. O que ele falou se parece demais com o que eu via quando tinha a idade dele.

Nem sei o que pensar.


*     *     *

Desde então tentei entrar em contato com a Thais, mas nenhum dos e-mails foi respondido. Na última vez que tentei, recebi uma mensagem dizendo que esse endereço não existia mais.

Claro, é bem provável que seja apenas invenção, sabem como é, "quem conta um conto, aumenta um ponto" (não é o que dizem?), mas nunca se sabe...

15 comentários:

  1. Nunca vi velha alguma durante uma paralisia do sono (ainda bem, que essa merda fique pra lá!), na verdade, nem abrir os olhos eu consigo, mal respiro.
    As alucinações durante minha paralisia ficam mais intensas quando começo a me apavorar, e são sempre as mesmas alucinações.
    Ouço gargalhadas bem agudas e baixas, sinto pequenos pés passeando sobre mim, sinto como se puxassem meu cabelo, tento ao máximo voltar a dormir quando acontece, na maioria das vezes é inútil.
    A ultima que tive foi há 4 dias, mas não foi tão ruim assim, acho que estou começando a aprender a controlar a situação. Eu saltei da cama, mas não lembro o que aconteceu.

    ResponderExcluir
  2. cara... eu tive muito desse tipo de pesadelo. meus olhos tbm não abriam,e com força eu conseguia abrir um pouco eles e o mundo real parecia distorcido. Eu sabia q estava acordado, meio dormindo, e era realmente assustador. Faz tempo que não tenho mais esse tipo de pesadelo, porque comecei a aprender a relaxar no desespero de querer acordar e acordava naturalmente. Isso me ajudou muito a trabalhar com o medo de paralisia do sono, e também fazia tudo parar. Acho que a grande dica aqui é, tente relaxar durante a paralisia. feche os olhos e mentalize com calma na vontade de acordar. Pra mim funcionou.

    ResponderExcluir
  3. Diferente da maioria aqui, que eu me lembro, só tive a experiência uma vez e no meu caso eu vi mais de uma figura humanoide, mas sem discernir seus rostos, eles cochichavam entre si e um deles se aproximou e pressionou o meu peito, mas o mais assustador era a percepção que eu tinha do meu quarto, ver o ambiente familiar meio turvo e povoado com pessoas sem rostos enquanto você está completamente impotente é aterrorizante e me faz entender vários relatos de abdução.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Quando eu tinha uns 5~6 anos, ouvi uns toc toc na porta de noite, eu estava dormindo, fui abrir, e era uma bruxa (vestido preto, narigão, cabelo branco, toda enrrugada, bem alta e até tinha um cajado ou vassoura), passei pelo lado dela ligeiro e corri pro quarto dos meus pais apavorado, só não sei se era sonho, ou foi "real". Mas eu sou de Floripa e aqui é conhecido como ilha das bruxas, ilha da magia, minha mãe falava muito disto, e talvez foi só 1 pesadelo.

    Também já senti meu corpo imóvel, mesmo tentando mecher, sem conseguir abrir o olho e tal, isto já grande (tenho 26). É agoniante.

    Dica para relaxar e ter um bom sono: beba uma boa cerveja a noite, 1 por dia não faz mal, faz bem. É serio! Mas tem que ser uma boa cerveja, de preferencia artesanal.

    ResponderExcluir
  6. Essa paralisia do sono tambem já ocorreu comigo algumas vezes, embora nunca cheguei a ver algum tipo de figura. Somente me sentia dominado por uma angústia indescritível e um medo de que havia algo ali comigo enquanto eu não conseguia me mover. Ceticamente atribuo este fenômeno ao medo de se ver sozinho e indefeso, mas somente que má passou por isso pode entender a tendência relacionar os eventos com algo sobrenatural, é um medo muito intenso.

    ResponderExcluir
  7. Eu passo por isso todos os dias quando durmo sozinha,já faz uns dez anos que tenho e ainda não sei lhe dá com isso estou assustada!

    ResponderExcluir
  8. Uma amiga minha já vivenciou uma espécie de Paralisia do Sono também. Um dia, enquanto ela dormia, sentiu que era incapaz de se mover e sentiu também um peso sobre suas pernas; como se alguém estivesse sentado em cima dela. Ela diz que não se lembra direito, mas a (chamarei aqui de pessoa, embora não saiba se era mesmo uma) "pessoa" inclinou-se sobre ela e cochichou: "Pra quê dormir?" Lembro que quando ela contou isso pra mim, na escola, fiquei com muito medo que pudesse acontecer comigo um dia ;d

    ResponderExcluir
  9. Eu também tenho paralisia do sono já há 20 anos, e essa história é bem parecida das várias que nós com paralisia passamos, mas até então mexer comigo nada faria, mas com meu filho ahahah!!! Não aceitaria d jeito nenhum, chamaria pastor, padre, pai de santo e expulsaria ela de qualquer jeito, mexer com filho da gente é outra história, tiraria coragem até d onde não tem e chutaria a bunda dela até no inferno. kkkkkk

    ResponderExcluir
  10. A pouco tempo eu tive um evento de paralisia, foi como se alguém puxasse o meu travesseiro, a coisa é tão real que você imagina que pode ser a sua mãe seu pai tentando te acordar, eu imaginei que fosse meu irmão tentando me acordar por algum motivo eu olhei para ver quem era e não tinha ninguem. Quando eu virei a cabeça outra vez, em direção ao teto na posição que eu estava deitado eu vi uma espécie de espírito parecido com os dementadores do filme Harry Potter saindo de dentro do meu corpo . Eu fiquei realmente muito assustado e por mais que eu tentasse eu não conseguia me mexer e como uma pessoa tetraplégica tentando recuperar os movimentos, o que me restou foi pedir a ajuda de Deus e foi oque eu fiz. Cara eu não sou religioso mas o fato é que a coisa parece tão real que você entra em desespero, e a última alternativa é pedir a ajuda de Deus. Em fim, por final o espírito negro em forma de sombra subio em direção ao teto e desapareceu aos poucos e logo depois uma luz branca começou a brilhar por debaixo da minha camisa. Após eu fazer um esforço enorme, eu finalmente consegui me movimentar. Acordei muito assustado e olhei ao redor para ver se tinha algo comigo no meu quarto mais logo percebi que não tinha nada nem ninguém, foi somente neste momento que percebi que tudo se passava de um pesadelo, fiquei mais tranquilo e voltei a dormir. Demorou um pouco pra min pegar no sono por causa que eu ainda estava um pouco assustado mais dormi tranquilo pelo resto da noite. Episódios como esse não costuma acontecer com frequência comigo talvez por que o meu caso não seja grave até por que na maioria das vezes não acontece nenhum tipo de alucinação e quando acontece eu não dou muita bola. Eu sou uma pessoa bastante racional e não costumo me abalar com essas coisas é assustador apenas no momento depois que passa, pelo menos no meu caso eu esqueço e até brinco depois. Más eu consigo entender pelo o que essa garota passou, por que no momento é tudo muito real e assustador. Por fim esse é o meu relato de paralisia do sono. Obrigado!

    ResponderExcluir
  11. Tbm passei por essa experiência horrível... Mas graças a Deus não vejo nada, apenas sinto algo ruim quando acontece... E graças a Deus nunca mais aconteceu..Já faz 6 meses que durmo tranquila... Oro sempre antes de dormir.. Acredito que só quem já viveu essa experiência sabe o que é ter medo da morte... A sensação é de que vc estah morrendo...sinto algo me sufocando e acordo com muita falta de ar... A última vez q tive foi na da minha mãe e foi uma das piores sensação..senti meu corpo preso e muito pesado..mas o pior foi sentir algo amarrando minhas pernas e eu desesperada tentando mexer meus olhos e gritar.. Lembro apenas de falar mentalmente p Deus me livrar daquilo.. ....

    ResponderExcluir
  12. Ah..pois eu sempre tenho e só me acontece dormindo de barriga pra baixo...Começa quando acordo pela manhã e caio no sono novamente. Ouço zumbidos como um rádio fora de sintonia (nhóin, nhóin, nhói...)e então começa a paralisia. É como se me apertassem fortemente não consigo mexer nenhuma parte do corpo exceto os olhos e só consigo respirar. Quanto mais força fizer pra sair é pior...Tento gritar mas a voz não sai...então eu relaxo, respiro e consigo acordar...Mas a sensação é horrível, no início eu morria de medo, fechava os olhos até acordar. Porém um dia eu decidi conscientemente explorar, me vi em pé no meio do quarto, eu observava todos os móveis, a cama do meu irmão, mas apenas as formas, sem cores.

    ResponderExcluir
  13. Eu vivo tendo paralisias do sono. A maioria são suaves, no qual eu simplesmente fico paralisado.. sem alucinações de nenhum tipo. Mesmo assim são desagradaveis..

    Porém, no meu repertório de paralisias, já tive paralisias tétricas.. assustadoras. Uma vez, minha ex namorada durmindo do meu lado, olhei para ela, e seu rosto estava demôniaco, com olhos gigantes, uma lingua igual a do Venôm do Homem-Aranha.
    Outra paralisia.. eu escutava um gato assoprando.. sabe quando eles ficam bravos e fazem aquele barulho "Fssss"
    E uma voz na minha cabeça dizendo coisas sem nexo nenhum. Acompanhado de uma sensação aterrorizante e muitos calafrios.

    AGORA SOBRE ESSA TAL VELHA. Puta que pariu, parando pra lembrar em uma das paralisias, acho que já vi essa criatura.
    Em uma paralisia.. não era exatamente paralisia.. era tipo,
    Um sonho.. muito estranho, havia um ser muito parecido com aquele do filme REC, uma monstra alta e muito magra, com um vestido rosa.

    Nesse sonho, ela parecia ficar me cantando e flertando e eu estranhamente ficava hipnotizado e apreciava seus flertes.
    Até que minha mãe entrou no quarto para me chamar, e foi como se eu saísse da hipnose dela, e me tocasse o quaõ horrenda ela era.. ai nesse "sonho" eu tinha dito algo como, "Não quero mais você, melhor eu ir embora"
    Ai ela instantaneamente partiu para me atacar em fúria.

    Foi ai que eu acordei.
    Seria essa a tal velha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O meu algoz era um menino....amarelado, como se estivesse doente em pé na porta do meu quarto. Ele tia de mim...muito alto e eu me borrando não conseguia me mexer. Lembro que depois de tempos consegui fechar os olhos e não sei se lá até o dia seguinte.
      Lembro que quando eu era pequena havia uma bruxa que sempre ia me visitar. Agora tenho 42 anos e rezo para que isso não ocorra novamente.

      Excluir
  14. acho que já tem cerca de um mês que não tenho paralisia do sono. de um tempo pra cá meio que aprendi a "controlar" a situação, ficando um pouco mais calma. antes eu fazia muito esforço pra me mexer, algo que na maioria das vezes era em vão, as vezes eu batia na parede, na tentativa de alguém ouvir quando eu não conseguia falar... já aconteceu algumas vezes de eu conseguir gritar com muito esforço, mas não ninguém me escutava.

    lembro da primeira experiencia que eu tive... estava dormindo de tarde, sozinha em casa, e de repente surge essa sensação... eu não não me movia, não conseguia enxergar direito, era tudo meio borrado, foi sinistro, porque eu vi uma pessoa ao lado da minha cama, como se estivesse ajoelhada, dizia coisas sem parar que eu não entendia.

    uma outra experiencia muito bizarra, foi ver tipo uma sombra me olhando em pé ao lado da minha cama, com os olhos vermelhos.

    teve uma vez que tive varias paralisias numa noite, e em uma delas, eu vi minha irma que dorme no mesmo quarto que eu, sentada na cama, olhando para mim... ela tinha uma aparência muito estranha, nao sei dizer, os olhos pareciam virados, brancos, ela tava muito pálida, parecia dizer algo que eu tbm não entendi, parecia tá com muita raiva, odio, não sei explicar...

    ResponderExcluir