quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Órbita Misteriosa - O Satélite Black Knight paira sobre nossas cabeças


Rumores afirmam que ele está em algum lugar lá em cima.

Na escuridão perene do espaço, bem longe do brilho da Terra, ele vaga lenta e deliberadamente no vácuo em uma órbita eterna. A Terra gira quilômetros abaixo, ignorando largamente a sua controversa existência. Eles o chamam de Satélite Black Knight (Cavaleiro Negro), um misterioso objeto que segundo alguns teóricos da conspiração orbita a Terra. Quem o construiu e por que? Para alguns ele teria origem alienígena e estaria ali para nos observar e registrar nossos avanços científicos. Alguns acreditam que ele é uma ferramenta da Guerra Fria, colocada secretamente no espaço para espionagem. Para outros ainda, sua estória seria bem mais antiga, datando de quase 13,000 anos no passado. 

Como muitas narrativas sobre fenômenos inexplicáveis, os rumores sobre o Black Knight envolvem ninguém menos do que Nicola Tesla. O notável inventor teria sido o primeiro a captar sinais de rádio sincronizados no ano de 1899, sinais estes que ele afirmou se tratarem de códigos originados do espaço exterior. Tesla teria dito isso publicamente, durante uma conferência.

Em 1920, pioneiros operadores de rádio amador também identificaram um sinal de origem até hoje desconhecida que viria de fora da Terra. Pouco depois, em 1928, cientistas de Oslo, Noruega captaram uma transmissão em ondas curtas que segundo os peritos era proveniente do espaço. O fenômeno foi gravado e chamado de Long Delay Echo (LDE, em português, Eco de Atraso Longo), algo ainda não inteiramente compreendido, no qual, sinais de rádio são retransmitidos com variação de tempo.

Um típico satélite do início da Corrida Espacial
Uma aparente explicação surgiu em 1954 quando jornalistas anunciaram que a Força Aérea havia descoberto um objeto desconhecido orbitando a Terra, num momento em que os Estados Unidos se preparavam para lançar seu primeiro aparelho, iniciando oficialmente a Corrida Espacial. Ao que tudo indica, aquela foi a primeira aparição registrada do Black Knight. A partir de então, ele apareceu em várias oportunidades, gerando registros que foram quase em sua maioria desmentidos, mas que em algumas ocasiões acabaram confirmados pela Força Aérea americana como "sinais provenientes de origem desconhecida". 

Mas não é só isso! Na década seguinte, tanto os Estados Unidos quanto a URSS já haviam colocado satélites em órbita da Terra. Mas em fevereiro de 1961, jornais de todo mundo noticiaram manchetes alarmantes: havia alguma coisa estranha orbitando a Terra. Um sistema de radar, recém desenvolvido pela marinha americana captou transmissões de dados de origem e linguagem ignoradas. O objeto foi descrito como um corpo escuro em órbita. Ele não era americano e nada indicava que seu padrão estava em conformidade com tecnologia usada pelos soviéticos. 

No dia seguinte, jornais adicionaram mais alguns detalhes. O misterioso objeto estava orbitando em um ângulo de 79 graus abaixo da Linha do Equador, não a 90 graus como seria de se esperar, em conformidade com a órbita polar. Sua órbita também foi descrita como altamente excêntrica, com um apogeu de 1,728 quilômetros e com um altitude mínima de apenas 216 quilômetros. O objeto descrevia uma órbita completa a cada 104.5 minutos.

Transmissões espaciais - Quem o satélite estaria tentando contactar?
Na ocasião, a Marinha estava rastreando um aparelho de testes com pouco mais de seis metros de comprimento chamado Discover VIII. Ele havia sido lançado em um foguete em 20 de Novembro de 1959, num teste que permitiria colocar o primeiro homem em órbita, já que o aparelho seria recuperado através do acionamento de paraquedas. O lançamento correu conforme planejado, mas a missão que pretendia acionar o mecanismo não foi bem sucedida. Durante sua órbita, o Discover perdeu seu rumo. Mas no decorrer da missão, o controle da missão captou um segundo objeto perfazendo uma órbita similar, como se estivesse acompanhando o satélite de testes. Após alguns minutos, o sinal se perdeu, junto com o satélite. Até hoje, ninguém foi capaz de precisar o que era esse segundo ponto visível no radar.

Finalmente em 1963, o astronauta Gordon Cooper comunicou ter visto um OVNI de coloração esverdeada durante sua décima quinta órbita à bordo da Mercury 9. O objeto foi visto também pela tela de radar por aproximadamente 100 pessoas na estação de rastreio em Muchea, próximo a Perth, Austrália. Uma explicação oficial dada mais tarde é que o equipamento eletrônico da nave sofreu um mau funcionamento, e que Cooper respirou muito CO2 que lhe causou alucinações. 

Dez anos mais tarde,  o pesquisador escocês Duncan Lunan tentou provar a existência do Black Knight. Ele retornou a Noruega onde cientistas haviam detectado as ondas LDE a fim de analisá-las. Lunan traçou o sinal que parecia ser transmitido para Epsilon Boötis, uma estrela dupla da constelação de Boötes. O que quer que fosse o Black Knight, ele parecia estar transmitindo uma mensagem contínua para Epsilon Boötis, talvez um convite que levaria aproximadamente 12,600 anos para chegar ao seu destino e ser retransmitido, conforme a análise de Lunan. Uma vez que havia retransmissão, Lunan presumiu que o misterioso objeto estava todo esse tempo em órbita.

Deuses Astronautas mais uma vez?
A peça definitiva de estranheza surgiu em 1998, quando o ônibus espacial Endeavor fez seu primeiro vôo com destino a Estação Espacial Internacional, o vôo STS-88. Astronautas na Endeavor perceberam que havia algo muito estranho evoluindo no espaço ao alcance de sua visão. Eles tiraram várias fotografias de um estranho objeto; fotos estas que foram levadas à público no site da NASA. Pouco depois, as fotografias desapareceram. Elas ressurgiram dias depois, em novos endereços com várias descrições explicando que o "objeto" era apenas um destroço espacial. As fotos eram de altíssima qualidade e obviamente mostravam o que parecia um tipo de nave. Para muitos, aquela era a prova definitiva da existência de algo na órbita terrestre, para alguns, o Black Knight. 

Em resumo, nós sabemos com o que ele parece, para onde ele está transmitindo e temos uma estimativa de a quanto tempo ele realiza essas transmissões. Supomos ainda, qual o seu propósito. Temos também o testemunho de várias pessoas que o viram em primeira mão e através de painéis de radar. Então, porque ninguém fala abertamente a respeito dessa coisa? E porque a NASA nega veementemente a sua existência?  

A ideia de que um objeto alienígena com 13 mil anos de idade orbita a Terra, sem dúvida é algo excitante e misterioso. A existência factual do Black Knight poderia alterar nossa percepção do universo e o papel que desempenhamos nele. Mas será que temos provas suficientes da existência do Black Knight? Seriam  verdadeiras as teorias? Poderiam resistir a uma análise mais criteriosa?



As misteriosas fotografias tiradas pelos astronautas mostram um objeto estranho semelhante a uma nave espacial evoluindo na órbita da Terra.
Bem, vejamos:

Nicola Tesla realmente afirmou ter captado sinais de rádio no ano de 1899, e ele de fato acreditava que a origem destes sinais vinha do espaço exterior. Hoje, a maioria dos cientistas concorda com essa suposição, mas acreditam que aquilo que Tesla captou, era o som de pulsares. Como os pulsares foram descobertos apenas em 1968, Tesla não fazia ideia do que estava ouvindo. Ele tentou explicar da melhor maneira possível o que havia captado: sinais indecifráveis de origem alienígena.    

A ciência atual ainda é incapaz de explicar o que eram os sinais que os cientistas noruegueses captaram. Esse mistério, sobre as LDE permanece até hoje. Há entretanto algumas sugestões plausíveis para explicar o fenômeno, a maioria envolvendo efeitos desencadeados pela nossa ionosfera. Alguns cientistas tentam provar que o atraso do eco não passa de um delay provocado por partículas iônicas, nada mais.

No que diz respeito aos sinais de rádio captados na década de 60, o governo americano divulgou em 1992 a existência de um programa de espionagem ativo na época que visava colocar em órbita satélites do modelo Corona. Segundo registros secretos recém divulgados, alguns desses satélites de espionagem estavam em órbita e teriam sido estes que o controle da missão Discover captou em seus radares. Na época, o controle da missão não tinha acesso a essas informações, portanto, é lógico eles ficaram sem saber o que pensar. Um técnico em 1996 chegou a afirmar que uma falha no controle de um dos Satélites Corona resultou na colisão com a Discover. Levando em conta o fato de que a tecnologia da época estava em fase de testes, também não pode ser descartada a possibilidade do satélite ter simplesmente se perdido em sua órbita e caído na Terra.     


Fotografias tiradas pela missão Endeavor.
O que dizer então do testemunho do astronauta Gordon Cooper que viu algo estranho enquanto estava na Mercury IX? De acordo com o próprio astronauta (falecido em 2004), houve enorme exagero a respeito de seu testemunho e as pessoas distorceram aquilo que ele disse ter visto. É importante ressaltar que ironicamente Cooper foi um defensor ferrenho da existência de vida extraterrestre até o final da vida, mas que jamais afirmou ter visto um satélite enquanto orbitava a Terra. Cooper ofereceu suas transcrições como prova de que não viu nada de anormal em sua missão. A história sobre o suposto avistamento do Black Knight por Cooper é sempre citada por defensores da existência do Satélite, mas essas pessoas simplesmente ignoram o parecer da testemunha. Tudo indica que o incidente foi totalmente distorcido por aqueles que queriam ver algo.   

O que nos leva ao misterioso acontecimento da Endeavor e as sensacionais fotografias que os astronautas tiraram e divulgaram na internet. A explicação mais razoável dos cientistas é que o tal objeto misterioso é apenas uma manta térmica, um tecido prateado e negro, que reveste a fuselagem externa da Estação Internacional. O objeto foi fotografado de vários ângulos e em algumas imagens ele parece assumir um formato incomum. A equipe à bordo da Estação comunicou que uma parte do revestimento havia se desprendido semanas antes da missão fotografar o estranho objeto rodopiando no espaço. Portanto, as fotografias mostrariam um objeto não apenas terrestre como colocado em órbita pelo próprio homem. 

É claro, todas as teorias podem ser refutadas, contudo para os teóricos da conspiração nenhuma explicação importa. A crença de que o Black Knight está lá em cima continua firme e forte e a cada ano ganha mais adeptos.

2 comentários: