sexta-feira, 25 de setembro de 2015

As Estrelas da Controvérsia - Lovecraft e seu desprezo pela Astrologia


O amor e interesse de H.P. Lovecraft pela ciência da Astronomia é bem conhecido.

De fato, tudo indica que Lovecraft aspirou seriamente seguir carreira como astrônomo e o teria feito, se suas notas em Ciências Matermáticas fossem melhores e se ele tivesse conseguido manter a calma em uma prova de admissão, que foi incapaz de completar em virtude de um ataque de nervos - possivelmente uma forte crise de ansiedade.

Apesar disso, Lovecraft via a si mesmo como um astrônomo amador. Desde criança ele tinha acesso a uma luneta presenteada pelo seu avô Whipple Phillips. De um ponto elevado no solar da casa de Whipple, ele passava noites inteiras observando a lua e as estrelas. Nas férias de verão, observar os astros era seu passatempo favorito e ele se recordava desses dias felizes com indisfarçável nostalgia. Lovecraft não era apenas interessado no tema, ele era extremamente voluntarioso: fazia anotações do que via, copiando os diários de observação que consultava no Museu local. Quando completou 15 anos, ele passou a visitar o Observatório de Providence e conversava com os astrônomos locais, entre os quais Percival Loew que nos primeiros anos do século XX ficaria notável pela descoberta de Plutão (coincidentemente o Yuggoth dos Mythos).

Lovecraft era visto como uma espécie de mascote dos astrônomos formados e dos graduandos. Ele os auxiliava nas observações e fazia anotações conforme eles observavam com os telescópios. Permitiam a ele também fazer observações, desde que não houvesse algum professor ali perto para expulsá-lo. Quando ganhou certa confiança, passou a escrever artigos para alguns jornais como jornalista freeelance, relatando as últimas descobertas e o significado das principais descobertas astronômicas. De um ponto de vista profissional, Lovecraft não tinha conhecimento formal, mas era um entusiasta bem informado que recortava notícias dos jornais e as colecionava.

Quando ele não conseguiu obter as notas necessárias para ingressar na Universidade, Lovecraft ficou mortificado. Seu sonho havia lhe sido negado, e não havia ninguém a quem culpar, exceto ele mesmo. É provável que ele se culpasse por não ter aptidão para os números, um dos requisitos para essa carreira. 

Nos anos seguintes, Lovecraft deixou de acompanhar com tanto interesse as descobertas astronômicas, devotando-se a outras atividades, sobretudo as ligadas a literatura. Lovecraft, ainda não era um autor, mas complementava suas parcas economias auxiliando escritores e jornalistas profissionais, revizando textos e publicando um ou outro artigo. Não é exagero afirmar que um dos seus passatempos nesse período de vida, correspondente aos seus 20-23 anos, era escrever e enviar cartas. Lovecraft escrevia de maneira compulsiva, dez, doze cartas por dia sobre os mais variados temas. Não é exagero comparar seu prolixismo ao dos atuais entusiastas das redes sociais que passam o dia na frente da tela do computador.

Embora em menor grau, Lovecraft continuava lendo e escrevendo artigos a respeito de astronomia. Os correspondentes em suas cartas, eram muitas vezes indivíduos de todo país: professores, astrônomos e observadores amadores como ele mesmo.

Lovecraft não escondia seu fascínio pelo cosmos e pela Astronomia, mas no mesmo grau fazia criticas ferinas a Astrologia. Em uma carta escrita aos 21 anos, ele disse: "a Astrologia não passa de uma pseudo-ciência ridícula que deveria ser esquecida em um mundo moderno".

Dizer que Lovecraft desgostava da Astrologia é um enorme eufemismo, ele abominava qualquer noção contemplada pela astrologia. Veja esse primeiro parágrafo em um artigo intitulado "Science versus Charlatanry" (Ciência versus Charlatanismo), contido na coleção de ensaios reunidos por S.T Joshi, em seu Volume 3:

"É um fato inoportuno que todo homem que tenta disceminar o conhecimento deva enfrentar não apenas a ignorância de alguns, mas as noções falsas defendidas por outros. Não faz muito tempo, a humanidade se libertou de uma sufocante onda de superstições, mas mesmo assim, ainda somos confrontados por indivíduos que alegremente dispensariam o progresso intelectual dos últimos séculos, apenas para nos mergulhar em suas crenças absurdas dignas do mais retrógrado obscurantismo medieval".

Este trecho, pinçado de uma carta enviada ao jornal The Evening News foi endereçada ao Sr. Martin Hartmann, um defensor da Astrologia como ciência. 

Conforme descrito por Joshi, o Evening News publicou na época uma série de cartas tanto de Lovecraft quanto Hartmann sobre a validade da Astrologia como ciência adjunta da Astronomia (o que devia doer nas orelhas de abano de Lovecraft).

Como um defensor passional da Astronomia, quase um Richard Dawkins de sua época, Lovecraft não apenas refutava o parecer de Hartmann, mas desqualificava a Astronomia em um todo. Lovecraft dizia que enquanto a Astronomia era composta de metodologia e lógica, a astrologia não passava de um arremedo de noções equivocadas e absurdas. Indo mais além, Lovecraft defendia que crenças obtusas como a Astrologia acabariam por arrastar a humanidade a uma "nova Era das Trevas", o que é curioso, já que na abertura de "Chamado de Cthulhu", um dos seus contos mais conhecidos, Loveraft  usava uma analogia semelhante, dizendo que, se a humanidade não fosse cuidadosa quanto às suas ciências, poderia se ver sob grave ameaça. 

"Chamado de Cthulhu" é uma obra de ficção e a abertura alarmante desse conto constitui um alerta sobre como a ciência mal empregada poderia desencadear um impacto nocivo na civilização humana. Da mesma forma, Lovecraft contemplava que a astrologia, uma superstição tola, se levada a sério por pessoas razoáveis, acabaria por contaminar nossa busca pelo verdadeiro conhecimento.

Chamar Lovecraft de intolerante a respeito de proponentes da Astrologia ou "outras superstições" é muito pouco. O homem reagia com um "cão raivoso" a qualquer noção de astrologia, o que é engraçado, já que temos a ideia de que Lovecraft parecia ser um sujeito gentil, cordial e tranquilo. Para vê-lo sair do sério, bastava mostrar a ele uma página de jornal com uma coluna sobre horóscopo. Lovecraft chegou a cancelar a assinatura de dois jornais apenas porque eles passaram a publicar o horóscopo do dia para seus leitores. Da mesma maneira, ele parou de ouvir certas estações de rádio que tinham em sua programação a leitura do Horóscopo. Uma de suas brigas mais sérias com uma de suas tias, teve como estopim uma discussão sobre o interesse dela por astrologia.  

Em suas anotações, Lovecraft redigiu o esboço para um livro intitulado "The Cancer of Superstition" (O Câncer da Superstição), a respeito de superstições ainda existentes no século XX. Esse rascunho chegou a ser oferecido a Harry Houdini, outro cético defensor das ciências, mas nunca foi publicado. Lovecraft teria escrito:

"Algumas pessoas possuem o que eu gosto de chamar de preguiça mental no que diz respeito a ciência. Aqueles afligidos por esse mal, se contentam com explicações incompletas e superstições pífias. Elas não buscam compreender o mundo a sua volta, aceitando noções, que num mundo racional, se mostram perfeitamente ridículas".

Baseado nesse comentário acima, percebemos que no entender de Lovecraft, uma pessoa que não aceitava a ciência, não passava de um preguiçoso. Portanto, a "alternativa indolente" dos supersticiosos era naturalmente abraçar a ignorância ao invés de buscar conhecer os avanços da ciência.

Conhecendo alguns pormenores da vida de Lovecraft, percebemos que ele realmente podia ser uma pessoa difícil e teimosa, um sujeito que raramente dava o braço a torcer e que levava as suas convicções até o final...

Mas o que esperar de um típico leonino nascido em 20 de agosto?

(Desculpe Titio Love, mas não deu para resistir). 

5 comentários:

  1. Muito bom o artigo sobre um assunto que não divulga muito.
    Outra sugestão : https://www.youtube.com/watch?v=gqyY_vSQWEw&list=PL110A043C85E989EA&index=6

    ResponderExcluir
  2. Não entendi o motivo da controvérsia...

    ResponderExcluir
  3. Ri muito do final da matéria! ausdhaudahdu

    ResponderExcluir
  4. Então né... daqui a 8 dias é aniversário dele haha, vou dar uma festa de frutos do mar hahahhahaha

    ResponderExcluir