sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Cidade Flutuante na China - E outros avistamentos de misteriosas cidades suspensas no ar


Faz algumas semanas, uma manchete estranha circulou pela internet.

Muita gente deve ter lido a respeito do misterioso avistamento de uma "cidade flutuante" na China. A mídia deu grande destaque a notícia e o relato de testemunhas e até fotografias foram publicadas em jornais, revistas e nas redes sociais.

Para quem não soube aqui está uma matéria no site de notícias do Examiner:
Imagine olhar pela janela no final de uma tarde enevoada e se deparar com algo impossível! Nada menos do que uma enorme cidade com torres e construções altas, flutuando bem acima de você. Isso realmente aconteceu no início do mês de outubro quando residentes de Foshan, na China, avistaram uma cidade fantasmagórica flutuando sobre sua própria cidade. 
O incidente ocorreu novamente, poucos dias depois, sendo testemunhado pelos habitantes de Jiangxi. Em ambos os casos, as pessoas tiveram a chance de ver a "cidade" e de estudar sua estranha arquitetura. Segundo relatos, uma cidade similar apareceu sobre o rio que banha a cidade de Huanshan, em 2011. Seriam miragens, aparições fantasmagóricas ou uma janela para outra dimensão? 
 
A aparição da cidade sobre Foshan foi filmada e enviada para o canal local de notícias. As testemunhas tiveram a oportunidade de filmar e fotografar o acontecimento, e mais de três mil imagens foram enviadas para agências de notícias ao redor do mundo.
A fotografia acima da cidade fantasma foi tirada em 12 de outubro em Jiangxi pelo Sr. Wu às cinco da manhã. Ele contou que a imagem da cidade fantasma se manteve visível por  cerca de 30 minutos e então desapareceu.
Em 2011 a cidade fantasma foi vista sobre a cidade de Huanshan e os moradores foram tomados de um grande temor. Naquela ocasião, a visão ocorreu de madrugada e durou cerca de vinte minutos, fotografias e filmagens foram feitas, mas a qualidade das mesmas era questionável, deixando margem para suspeita de adulteração. As imagens mais recentes são bem mais claras e detalhadas: elas mostram o que claramente parecem ser prédios, estruturas e árvores em meio ao nevoeiro. 
 Ainda não existe uma explicação para o estranho fenômeno, mas as autoridades chinesas se apressaram para tranquilizar a população de Foshan e Jiangxi. Uma explicação popular é que a imagem não passa de uma simples miragem. O ar úmido se curva e forma uma espécie de reflexo da cidade ao entrar em choque com o nevoeiro, causando uma espécie de reflexão no céu. Entretanto, esse efeito tende a ser borrado, enquanto o testemunhado no início do mês passado é perfeitamente claro. 
O que poderia ser esse estranho fenômeno?
*     *     *


Uma imagem, às vezes bastante clara, pode se formar, assumindo a forma de uma miragem invertida conhecida como Fata Morgana. O nome é bastante sugestivo, e se refere a lendária feiticeira Morgana Le Fey, que teria criado imagens de castelos flutuantes para atrair marinheiros para suas mortes em rochedos ocultos pela maré. Esse mesmo fenômeno, muitos acreditam, é o responsável por avistamentos do mítico navio fantasma "O Holandês Voador" que segundo as lendas flutuava acima da linha da água. Ele também está associado a inúmeros alegados encontros com monstros marinhos e criaturas desconhecidas que pareciam flutuar poucos metros acima da água.

O princípio da refração aqui é bem semelhante ao da miragem nos desertos, mas em uma escala maior, com uma imagem flutuando bem mais alto do que a linha em que o horizonte toca a água. É incomum, mas pode acontecer segundo especialistas.

Mas se esse fenômeno é conhecido, por que ouvimos falar tão pouco a respeito de incidentes semelhantes?

A resposta é simples: tais avistamentos não são nem um pouco raros.

Imagens de ciaddes flutuantes, ilhas voadoras e de estranhas montanhas que parecem suspensas no céu são parte de descrições feitas há séculos por observadores incautos que se surpreendem ao ver "coisas que literalmente não deveriam estar lá".

Charles Fort, o pai do estudo do sobrenatural se dedicou por algum tempo a esse estudo. Ele compilou uma série de relatos a respeito de objetos colossais desafiado a gravidade e flutuando sob a cabeça das pessoas, apenas para desaparecerem em seguida, como se jamais tivessem existido. Por alguma razão, esse tipo de fenômeno tende a ser mais frequente no hemisfério norte e está claramente ligado a mares e localizações onde existem grandes corpos de água, lagos e rios extensos.

O mais antigo relato sobre algo parecido com o que foi visto na China, data do ano de 395, quando Santo Atanasio de Nicósia, em viagem pelos Dardanelos, na atual Turquia, teria sido arrebatado por uma visão notável. Uma enorme ilha flutuante que se erguia sobre um lago e parecia flutuar sem peso pelo céu. O Santo detalhou que a ilha flutuante, com uma base rochosa e maciça, possuía uma enorme variedade de árvores e plantas no topo, quase como um oásis. Atirando-se aos pés da imagem, Atanásio, considerou que a visão era um vislumbre do Paraíso um dia habitado por Adão e Eva.


Relatos posteriores de colossos voadores continuaram a surgir aqui e ali ao longo da estória.

Em 1655, um capitão da Marinha Espanhola, Dom Heviasio Fuentes de Outrano escreveu em seu diário de bordo que ele e seus homens avistaram algo inexplicável poucos dias depois de deixar a Ilha de Mallorca a caminho do Novo Mundo. A coisa flutuante dessa vez era uma notável montanha rochosa, magnífica, "capaz de ascender até o firmamento e desaparecer nas uvens mais altas". A grande montanha simplesmente flutuava no céu e permaneceu estática enquanto so aterrorizads marinheiros se entreolhavam apavorados. Outrano ordenou que sua embarcação fizesse meia volta e retornasse para Mallorca afim de comunicar o que havia sido visto para seus superiores. Ao desembarar a estória dos tripulantes foi ridicularizada. Mas qual não foi a surpresa dos habitantes da cidade quando mais duas embarcações, uma inglesa e uma portuguesa, aportaram nos dias seguintes trazendo exatamente a mesma estória. O que seia a tal montanha flutuante vista pelos marinheiros? O que poderia explicar essa visão surpreendente?

Em 1803, outro incidente inexplicável ocorreu sobre Salt Lake City, na parte central dos EUA. Dessa vez, uma cidade flutuante foi vista nas primeiras horas da manhã de 23 de setembro. A cidade apareceu em meio a nuvens e permaneceu visível por várias horas, sendo possível ver prédios e construções em sua superfície em detalhes, sempre que as nuvens se abriam. Segundo testemunhas, até mesmo habitantes da estranha cidade voadora puderam ser vistos andando nas ruas. Populares tentaram desesperadamente acenar e atrair a atenção dessas pessoas; chegou-se ao ponto de disparar tiros na direção da cidade para que os habitates tomassem ciência do que esava acontecendo. A visão em Salt Lake desapareceu atrás das nuvens, mas ressurgiu três dias depois no final da tarde. A notícia chegou a ser divulgada nos jornais da época e muitas pessoas se perguntavam se aquela visão não representava um vislumbre da Cidade de Prata, a morada dos Anjos.

O mais famoso avistamento de uma cidade flutuante, no entanto, ocorreu supostamente no ano de 1890 no território do Alasca, extremo setentrional da América do Norte. Segundo rumores, uma colossal cidade flutuante - com torres, praças, prédios e jardins surgiu sob a cidade de Ticoteroga em 16 de março daquele ano. Os habitantes do pequeno vilarejo ficaram em choque quando as nuvens se abriram após uma nevasca, revelando aquela monumental cidade de arquitetua incomum, descrita como dotada de torres de pedra e domos envidraçados, grandes como as cúpulas de palácios e catedrais. Em Ticoteroga, as pessoas fugiam apavoradas, rumando para Juneau, trazendo estórias inacreditáveis sobre a cidade flutuante.

Nativos que habitavam a região também viram a cidade e consideraram que ela era um mau presságio, uma espécie de profecia capaz de amaldiçoar todos que deitassemos olhos nela. Segundo rumores, muitos nativos cometeram suicídio naquele ano e mais de uma família simplesmente desapareceu sem deixar vestígios. Aldeias foram abandonadas às pressas, objetos pessoais deixados para trás sem qualquer motivo aparente, exceto o medo paralisante diante de uma coisa incompreensível.

Segundo testemunhas, a cidade flutuante não apenas permanecia estática, mas se movia pelo céu e desaparecia de tempos em tempos, ressurgindo dias depois. Por ao menos uma semana a cidade permaneceu no céu para que todos a vissem. Findo esse prazo, ela desapareceu por completo em meio a uma tempestade de neve, e não foi mais vista.


Anos mais tarde, em 1901, nativos de uma região próximo, ainda no Alasca, começaram a falar novamente da misteriosa cidade flutuante com um misto de medo e apreensão. O colosso flutuante havia surgido uma vez mais nos céus nebulosos. Falava-se de habitantes estranhos da cidade, uma raça não humana de indivíduos muito altos, com pele amarelada e vestindo trajes compridos que lhes escondiam as feições do rosto. Alguns nativos contaram ter encontrado esses seres misteriosos e inclusive foram conduzidos por eles para conhecer a cidade flutuante. Eles foram transportados até ela, dentro de cestas que foram descidas por cordames. No interior da cidade fantástica, os nativos conheceram um povo que claramente não era humano, mas que nem por isso deixou de demonstrar gentileza. Eles falavam uma língua incompreensível, e "ao se comunicar não moviam os lábios". Depois de observar os visitantes com muita curiosidade e fazer perguntas que não puderam ser respondidas, os estranhos habitantes da cidadela flutuante, presentearam os nativos com espelhos, facas e objetos similares feitos de metal polido. Prepararam então as cestas e os desceram em segurança até o solo. A cidade teria desaparecido poucas horas depois, sem jamais retornar.

Há muitas outras narrativas sobre cidades vistas nos céus, em geral, após tempestades e nevascas, divisadas após um forte nevoeiro se formar. Essas condições similares apontam para um fenômeno atmosférico, conforme explicado pelos cientistas, mas poderia haver algo mais?

Seriam as inexplicáveis imagens uma simples reflexão, como uma miragem? Ou haveria algo mais oculto nesses incidentes?

Teoristas da Conspiração afirmam que em certas circunstâncias específicas a fronteira entre os mundos, dimensões e realidades (como preferirem!) se torna mais fina e por um curto período de tempo é possível contemplar o que existe do outro lado. Será que foi isso o que aconteceu na China e nesses outros lugares? Uma janela temporária se abriu e através dela pudemos ver o que existe além de nosso mundo... vislumbrar o que está além de nosso alcance normal. Contudo, tal pensamento é incômodo, pois se nós pudemos ver o que existe lá, com certeza a recíroca é verdadeira: seja lá o que vive nessa outra realidade conseguiu ver o nosso lado. E mais: será que um dia algo cruzará este portal em nossa direção?

Muitas questões, nenhuma entretanto capaz de ser respondida hoje e num futuro próximo. Seja como for, continue olhando para o céu, nunca se sabe o que vai surgir de repente.

2 comentários:

  1. Isso me lembra muito os efeitos de gases tóxicos como no livro
    Metro 2033 que é muito bom por sinal, o seguinte 2034 caí muito e só vale pelo Hunter, mas relata a experiência forte de alucinação por gases e a morte por elas.
    As visões que vem e vão.
    No caso dos corpos d'água seriam resíduos de rituais de Deep ones? hehe
    Artigo legal. Em Spawn godslayer que tem influências de lovecraft, uma cidade de ladrões fica em cima de um animal (god of war anyone?).
    Por fim sugestão se já não foi falado: as expedições de Rondon e Luís Carlos Prestes pelo Brasil. talvez até a guerrilha do araguaia que os guerrilheiros usaram o misticismo em alguns momentos para aterrorizar as tropas da ditadura.

    ResponderExcluir
  2. Ou pode ser tbm a cidade santa relatada na bíblia anunciando q Jesus está voltando

    ResponderExcluir