terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Top 5 - Os Mais Terríveis Vilões de Lovecraft


Quais são os mais terríveis vilões dos contos de H.P. Lovecraft?

Antes de tudo é bom fazer uma distinção. Nessa lista estou me referindo aos vilões humanos (ou quase) e não às aberrações vindas das estrelas, divindades ou criaturas dos Mythos de Cthulhu.

O critério desse TOP 5 é apresentar aqueles personagens que se destacam quando falamos de perversidade, crueldade, loucura, maldade, ambição e comprometimento com as forças obscuras.

Então vamos a eles:

Quinto Lugar:

Capitão Richard Holt
O Velho Terrível de Kingsport


Conto: O Terrível Homem Velho ("The Terrible Old Man" - 1920) e brevemente em A Estranha Casa nas Névoas ("The Strange High House in the Mist" - 1926)

Um amargo e solitário ancião que habita uma antiga mansão na enevoada cidade costeira de Kingsport. À primeira vista ele não seria um grande obstáculo para um bando de determinados ladrões que ouviram rumores sobre um fantástico tesouro guardado na casa do lobo do mar. Mas ao invadir o lugar, os pobres gatunos descobrem que as lendas sobre o ancião são verdadeiras e que o Velho Terrível de Kingsport esconde aterradoras surpresas.

Potencial Maligno - Incrivelmente velho, ninguém se recorda da juventude de Holt e como ele chegou a Kingsport. É bem possível que ele seja imortal e que o tempo não represente nada. Ele detém terríveis capacidades místicas que lhe permitem aprisionar as almas de seus desafetos em garrafas de cristal e invocá-las para servi-lo quando preciso. Holt costuma conversar com estas garrafas como se estivesse se referindo a velhos amigos. As pessoas em Kingsport aprenderam a temê-lo e a respeitá-lo com toda razão.

Quarto Lugar:

Asenath Waite
A alma e a mente de Ephraim Waite


Conto: A Coisa na Soleira da Porta ("The Thing in the Doorstep") (1933)

A esposa de Edward Derby e filha única de Ephraim Waite. Ela é descrita como "uma jovem de cabelos escuros, pequena e muito atraente, exceto pelos olhos estranhamente grandes" - uma aparência comum para os habitantes da cidade natal de Asenath, Innsmouth. A mãe de Asenath andava sempre com um pesado véu negro escondendo suas feições, o que sugere que ela fosse um abissal ou um híbrido parcialmente transformado. A jovem usa sua beleza e poder de sedução para casar com o instável poeta de Arkham, Edward Derby e conquistar uma posição confortável na sociedade local.

Asenath, é uma bruxa experiente, que foi guiada pelo pai, um poderoso feiticeiro, pelos caminhos da adoração aos Mitos Ancestrais. Ela domina magias e é capaz de conduzir os mais terríveis rituais. A relação de Asenath e seu pai, é aliás o fio condutor dos fantásticos eventos descritos no conto.

A tradução mais aproximada do nome Asenath é "aquela que pertence ao pai" e é o que literalmente ocorre no conto de Lovecraft. O pai de Asenath transfere a sua mente para o corpo da filha com o intuito de escapar da morte. Seria Asenath uma vítima nessa situação? Tudo leva a crer que ela aceitou de bom grado desempenhar seu papel nesse plano por ser absolutamente fiel ao pai.

Potencial Maligno - Asenath é uma manipuladora cruel e sedutora, uma viúva negra que envolve o próprio marido em uma trama nefasta. Além de ser uma bruxa determinada a servir o pai até as últimas consequências ela é uma devota das forças dos Mitos de Cthulhu.

Terceiro Lugar:

Wilbur Whateley 
cria de Yog-Sothoth, pupilo das trevas


Conto: O Horror em Dunwich ("The Dunwich Horror" - 1928)

Nascido em circunstâncias estranhas (e bizarras), o jovem Wilbur Whateley nunca pôde ser considerado normal. Sua grotesca aparência física e a disposição para acumular conhecimento sempre foram chocantes para aqueles que o conheciam. Ele cresceu na companhia dos membros degenerados de sua família, os Whateleys, nas profundezas da Floresta de Dunwich, uma terra cheia de lendas e superstições, muitas das quais verdadeiras.

Wilbur e seu irmão gêmeo ainda menos humano, planejavam abrir um portal para que seu pai, Yog-Sothoth, pudesse adentrar a nossa realidade. Seus planos falharam quando o diretor da Miskatonic University negou a ele o acesso ao abominável Necronomicom. Furioso, Wilbur tentou roubar o livro, mas foi despedaçado pelo cão de guarda da instituição. Os restos recuperados pareciam bem pouco humanos.

Potencial Maligno - Wilbur é filho de uma entidade dimensional de poder imensurável. Seu irmão é uma aberração tenebrosa que se alimenta de carne. Sua mãe e avô são cultistas degenerados que há gerações planejam o retorno dos Antigos. Com uma família dessas o rapaz não poderia ser muito normal, afinal o fruto não cai muito longe da árvore.


Se isso não fosse o bastante, Wilbur é absolutamente insano e perigoso. Sua ambição por obter o Necronomicom e usar as magias e rituais ali contidos não conhecia limite. Se dependesse dele, o mundo seria escravizado pelos antigos e a humanidade seria submetida à sua vontade. Felizmente para nós, ele se tornou comida de cachorro.

Segundo Lugar:

Keziah Mason
Bruxa Imortal, Consorte das Trevas, a residente da lendária Casa da Bruxa de Arkham


Conto: Sonhos na Casa da Bruxa ("Dreams in the Witch House" - 1932)

Uma mulher que ajudou a forjar a má fama das bruxas na Nova Inglaterra do século XVII. Keziah viveu em Salem em 1692, durante a época mais conturbada da chamada Caça às Bruxas empreendida pelos puritanos. Sua feitiçaria demoníaca era usada para encantar, contatar, invocar e adorar as entidades mais tenebrosas dos Mitos. Ela era discípula do chamado Homem Negro (Black Man), uma das manifestações mais malignas de Nyarlathotep.

Os caçadores de bruxas conseguiram capturá-la. Durante seu interrogatório ela confessou seu conluio com as forças das trevas e reconheceu sua devoção aos antigos. A punição, no entanto, não a alcançou, ela conseguiu escapar das chamas da fogueira usando sua magia para fugir de sua cela. Keziah reapareceu séculos mais tarde na Arkham dos anos 20, onde passou a atormentar um jovem estudante de matemática que estudava sua influência.

Potencial Maligno - Não bastasse ser uma das mais terríveis bruxas de todos os tempos, Keziah estava envolvida com sacrifícios. Ao longo de sua carreira como cultista ela conduziu horríveis rituais que demandavam o sangue de inocentes. Sob o assoalho de sua casa foram encontradas inúmeras ossadas de crianças e até de recém nascidos.

Em sua busca por poder e servitude a Nyarlathotep, Keziah não poupava ninguém. Sua tortura psicológica através de pesadelos impostos a Walter Gilman, o inquilino de sua casa no século XX, figuram na lista de grandes maldades na literatura lovecraftiana.

Primeiro Lugar

Joseph Curwen
Senhor de Terras, Monstro Renascido e Cruel Feiticeiro de Providence


Conto: O Caso de Charles Dexter Ward ("The Case of Charles Dexter Ward" - 1927)

Em matéria de maldade muitos tentam, mas ninguém consegue se aproximar do Cavalheiro de Pawtuxet, Joseph Curwen. Morto pela primeira vez nas mãos de camponeses revoltados no Século XVIII, o feiticeiro consegue tapear a morte usando seu descendente o curioso Charles Dexter Ward para ressuscitar no século XX.

Antes contudo, a lista de atrocidades de Curwen como feiticeiro incluía um inominável pacto com Yog-Sothoth, a utilização de rituais horríveis, roubo de cadáveres, tráfico de restos mortais, conluio com feiticeiros ao redor do mundo, ressurreição dos mortos, cruéis sessões de tortura com seus prisioneiros, assassinato, sacrifícios e outras perfídias.

Curwen se valia de todos os meios para obter poder, riqueza, conhecimento e vida eterna. Em certos momentos, fica claro que Curwen não serve aos Mitos, mas os vê como uma ferramenta para conquistar e triunfar. Poucos inimigos podem ser mais frios e calculistas, poucos vilões podem ser mais detestáveis e implacáveis. Curwen consegue se sobressair em uma lista de indivíduos cuja crueldade atinge proporções épicas.

Potencial Maligno - Curwen trama a própria morte e ressurreição, esperando que o tempo lhe conceda os mecanismos para retornar. Uma vez de volta das cinzas ele se livra de seu descendente de forma impiedosa e assume a sua identidade. Ninguém que se coloca diante de Curwen sobrevive por muito tempo, sua mente privilegiada consegue se adaptar a uma nova era e traça planos de assumir um lugar de destaque na sociedade.

Curwen age de forma meticulosa e pragmática. Não fosse o envolvimento de amigos do pobre Sr. Ward, ele teria sucesso em seus planos macabros.

Menção Honrosa

Brown Jenkin
Familiar e Servo de Keziah Mason


Conto: Os Sonhos na Casa da Bruxa ("Dreams in the Witch House" - 1932)

Essa lista de vilania não poderia deixar de incluir o terrível familiar de Keziah Mason. Brown Jenkin é por si só uma aberração grotesca, um grande rato com a face transfigurada de um homem. Uma criatura suja e mesquinha, ele vive para servir sua senhora.

Potencial Maligno - No final do conto, quando tudo parece encaminhado para um incomum final feliz, Brown Jenkin reestabelece a ordem provando que a vingança pode viajar através das eras para ser praticada com requintes de crueldade.

2 comentários:

  1. Achei que ia ter "não humanos" como ganhadores, acabou sendo só seres humanos mesmo, não estou falando mal, gostei de ter sido assim.

    Asenath Waite pelo que me lembro, li o conto novamente deve fazer 1 mês não queria ter o corpo roubado, a coitada simplesmente foi usada pelo pai como um objeto, ele gostaria mesmo de pegar um corpo de homem, mas provavelmente ele não teve tempo para isso e teve que usar o corpo da filha. Ela mesma foi morta depois que foi transferida para o corpo do pai. Sinceramente não acho que ela queria isso e nem teve escolha.

    ResponderExcluir
  2. Se é para imaginar eu não penso que Yog-Sothoth era o pai dos irmãos Whateley. Yog-Sothoth controla o tempo e espaço, acho que seria uma coisa idiota ele tentar dominar a terra assim. Acho que alguma outra coisa enganou os Whateley e fingiu ser Yog-Sothoth. Yog-Sothoth senhor de todo o espaço e tempo tento filhos com uma albina para destruir a humanidade... Me conta outra.

    ResponderExcluir