quarta-feira, 13 de julho de 2016

Mitos do Japão - Criaturas, Monstros e Fantasmas aterrorizantes da Cultura Nipônica


Os japoneses possuem uma série de tradições envolvendo o mundo dos espíritos e do sobrenatural. Existem literalmente centenas deles, muitos inofensivos, muitos trágicos, e uma boa parte malignos ou ao menos perniciosos. Dentre os muitos espíritos que vagam pelo Japão, alguns se tornaram famosos e são prontamente reconhecidos pelas pessoas como parte do folclore… mas existem alguns que se tornam famosos e passam a figurar no inconsciente coletivo nipônico. 

Aproveitando o lançamento de KURO, um novo RPG baseado no folclore e na cultura oriental, aqui estão alguns motivos para temer o cair da noite no Japão (além, é claro, banheiros, bebês, mulheres exóticas, animais selvagens e quase tudo naquele país).

1) Joro-Gumo




O Joro-gumo é a Mulher-Aranha do folclore japonês.

Não é preciso dizer que se trata de um espírito vingativo, como quase todas as criaturas sobrenaturais femininas da tradição nipônica. 

Ela pode ser retratada como uma aranha gigante com o rosto lembrando vagamente o de uma mulher bonita. A Joro-Gumo também pode se apresentar como uma bela mulher de cabelos escuros e pele muito pálida que se transforma em uma aranha gigante, ou ainda como um híbrido com a parte superior do corpo de uma mulher e a inferior com o abdomen e pernas de uma aranha gigantesca. Em todas as versões, ela é sedutora atraindo os homens para sua teia cujos filamentos cinzentos são indestrutíveis. Uma vez capturadas, as vítimas são envolvidas e mordidas com um veneno paralisante que lentamente vai derretendo a presa de dento para fora. Quando ela está morta, a Joro-Gumo morde o pescoço e começa a chupar o sangue até que reste somente uma casca vazia.

Uma variação do mito da Joro-Gumo diz que ela pode usar uma estratégia dissimulada, fingindo ser uma mulher perdida carregando um bebê de colo que precisa de comida. Na verdade, o bebê é uma bolsa de teia contendo ovos de aranha prestes a chocar, que a criatura lança no rosto de sua vítima em potencial. Em outra abordagem, a Joro-Gumo fica postada na entrada de uma caverna ou numa janela assistindo as pessoas passarem. Ela chama suas vítimas para perto com gracejos na intenção de contar uma fofoca ou fazer uma proposta sexual. Quando a pessoa se aproxima e percebe que da cintura para baixo a mulher é um ser monstruoso, já é tarde demais.

Em algumas cidades do Japão até o início do século XX, mulheres eram proibidas de ficar na janela assistindo os passantes por medo de que elas pudessem ser Juro-Gumo disfarçadas.

2) Teke Teke




Teke Teke é mais uma Lenda Urbana do que um mito que figura no folclore e razoavelmente recente.

Trata-se do espírito de uma garota adolescente que tropeçou em um trilho e foi cortada ao meio por um trem. Morta, mas sem sossego, ela vaga pelas linhas de trem, passarelas e estações, com os braços sustentando a metade superior de seu corpo. Esse espírito surge em estações abandonadas ou desertas. O primeiro sinal de sua manifestação são as luzes da estação que começam a piscar e o ruído das mãos batendo no piso de metal.

A Teke Teke odeia os vivos e sua motivação principal é empurrar pessoas na frente dos trens que estão se aproximando ou então lançar suas vítimas nos trilhos para que recebam uma descarga elétrica fatal. Um dos objetivos da Teke Teke é fazer com que suas vítimas também sejam cortadas ao meio, para que ela consiga roubar a metade de baixo e se fazer inteira novamente.

Em 2012, um famoso "programa de pegadinhas" da televisão japonesa encenou uma "brincadeira" na qual a luz da estação Meishin em Osaka, piscava e uma garota contorcionista surgia simulando os movimentos da Teke Teke. Uma das vítimas da brincadeira ficou tão apavorada que saltou no meio dos trilhos morrendo eletrocutada. Desde então, o espírito ganhou enorme fama e passou a ser muito temido.  

3) Kamaitachi


Kamaitachi, significa literalmente "doninha com foice." Não, você não leu errado.

Existem três desses espíritos que sempre andam juntos, algumas vezes sendo tratados como irmãos, outras como trigêmeos, que vagam por lugares isolados. Geralmente escavando por baixo da terra, abrindo túneis e caminhos subterrâneos. Para quem acha a noção de uma doninha armada, algo saído de Pokemon, aqui vai um aviso, essas doninhas possuem foices extremamente afiadas no lugar dos braços, lâminas que elas utilizam para cortar as pernas das pessoas.

Está um pouco menos simpático? Pois piora!

Conhecidas pela extrema crueldade, esses espíritos animais atraem suas vítimas para perto dos seus túneis onde preparam armadilhas. Uma vítima inadvertidamente pisa em um buraco e fica presa com metade do corpo para fora e as pernas para dentro. É então que as doninhas atacam, concentrando-se em áreas dolorosas, cortando tendões e rasgando músculos com uma habilidade cirúrgica. Com as pernas gravemente feridas, incapazes de se manter em pé, as vítimas precisam se arrastar pelo chão, deixando um rastro de sangue que simplesmente enlouquece os Kamaitachi.

Elas se movem tão velozmente que num piscar de olhos, os Kamaitacho estão sobre suas presas e estas cheias de lacerações. Segundo o mito, as doninhas tentam matar as pessoas e arrastar seus corpos para dentro de suas tocas subterrâneas onde devoram suas entranhas, roem seus ossos e os usam como alicerces para os túneis escavados. Em algumas versões, as vítimas são arrastadas para dentro dos túneis e quando acordam, descobrem que suas pernas foram amputadas pelos sanguinários espíritos.

Se isso não é o suficiente para lhe assustar, deixe que eu lhe fale a respeito de uma gangue de criminosos japoneses do século XIX que chamavam a si mesmos de Kamaitachi. Uma das marcas registradas dessa quadrilha era agir como esses espíritos, amputar as pernas de seus adversários com foices e deixá-los mutilados pelo resto da vida.

4) Gashadokuro


Esse é um espírito bastante clássico e assustador. Ele aparece como um esqueleto sem a pele, mas algumas vezes visto com os músculos ainda presentes. Ele está sempre se esgueirando, assombrando hospitais, manicômios e casas de repouso, onde procura encontrar vítimas que estejam doentes ou em recuperação.

Em uma das versões do mito, o Gashadokuro é o espírito de um doente que morreu em face da negligência de médicos e enfermeiros. Ele acabou morrendo de fome, sede ou não recebeu seus medicamentos à tempo. Furioso, o espírito retorna dos mortos para atormentar os vivos e repetir a sua sina. Seu método é especialmente cruel, ele costuma segurar suas vítimas e mordê-las com dentes afiados capazes de arrancar pedaços inteiros de carne. Depois de ferir suas vítimas, o Gasadokuro a captura e leva para um lugar escuro onde dá uma mordida por dia, consumindo um pedaço da carne e bebendo o sangue. No fim, quando a pessoa está muito fraca, ele pode simplesmente libertá-la cheia de cicatrizes ou morder sua garganta e matá-la de uma vez por todas.

O Gashadokuro é um espírito extremamente maligno que se delicia com tortura, em provocar a dor e o sofrimento alheio. Suas costelas são afiadas e quando abraça suas vítimas com seus longos braços descarnados, elas fincam nas costas de suas presas causando perfurações lancinantes.

Na década de 60, um assassino de enfermeiras que aterrorizou a região metropolitana de Tóquio foi apelidado de Gashadokuro.

5) Katakirauwa



Esse aqui é um dos mais horríveis na minha opinião, em parte por que eu detesto porcos.

Katakirauwa são fantasmas de porquinhos sacrificados cuja carne não é consumida e acaba deteriorando. Eles possuem algumas peculiaridades: 1) não tem uma das orelhas, 2) não projetam sombra e 3) roubam a alma das pessoas de quem passam entre as pernas.

Japoneses e sua criatividade para criar espíritos bizarros...

Em algumas variantes os Katakirauwa parecem filhotes de porcos, meio mutantes, meio deformados, completamente apodrecidos, repletos de moscas e exalando um fedor nauseante. Eles tem uma etiqueta com a validade de sua carne pendurada na orelha restante e correm rapidamente. As pessoas primeiro sentem o seu cheiro nauseante e quando os vêem já é tarde demais. Os porquinhos fantasma avançam contra as suas vítimas correndo e batendo em suas canelas para que eles percam o equilíbrio e fiquem na altura ideal para uma mordida. Em seguida, desferem a dentada na face arrancando orelhas, nariz, bochecha ou lábios.

O Katakirauwa é um espírito invocado para assustar crianças, em áreas rurais, pais mencionam a criatura para fazer com que seus filhos não deixem nenhum pedaço de carne de porco em seus pratos. Sério? Alguém deveria conversar sobre psicologia com os pais japoneses...

Uma praga suína que se abateu sobre o Japão nos anos 1970 foi apelidada de Katakirauwa. Depois que muitos porquinhos tiveram de ser sacrificados, o mito ganhou força.

6) Aka Manto




É curioso, mas uma quantidade absurda de espíritos nipônicos existem com o objetivo de assassinar pessoas que estão no banheiro em meditação. Sério... deve haver algum problema grave, pois não são poucos os fantasmas que querem matar pessoas que estão simplesmente se aliviando.

O Aka Manto é um dos mais conhecidos espíritos matadores de banheiro.

Esse espírito fica esperando que uma vítima entre em um banheiro público e quando está sozinha se aproxima da porta de uma cabine e pergunta: "Você quer papel vermelho ou papel azul?"

Se a vítima responde papel vermelho, o espírito arrebenta a porta e mata o indivíduo rasgando pedaços de sua pele que são deixados como folhas de papel avermelhado. Se a vítima em potencial responde "azul" ou não diz nada, o espírito abre a porta e faz com que a vítima enlouqueça ao contemplar sua forma horrenda.

Esse espírito é peculiar uma vez que não se sabe qual sua aparência e o que ele representa. Alguns sugerem que o Aka Manto é um demônio tão abominável que a visão faz com que a pessoa enlouqueça por completo ou fique paralisada de medo até ser exterminada. Em uma variante, o espírito pergunta se a vítima quer "capa vermelha ou capa azul". A capa vermelha representa a pele das costas arrancada por garras afiadas, a capa azul representa o corpo drenado de todo o sangue assumindo uma coloração azul arroxeada.

Alguns anos atrás, uma pesquisa no Japão concluiu que um dos medos mais profundos das crianças nipônicas envolve ir sozinhas ao banheiro de colégios, internatos ou instituições de ensino. O pavor de se verem sozinhos em instalações sanitárias é frequentemente citado como uma das principais causas de enurese e ansiedade no Japão. As crianças literalmente preferem fazer nas calças ao invés de se aventurar em banheiros apavorantes.

7) Tsuchigumo




A Mitologia Grega é famosa pelos seres com diferentes partes de animais misturadas em uma mesma criatura híbrida. O Manticore por exemplo, tem o corpo de leão, asas de morcego e cabeça humana, já o grifo é parte leão e parte águia.

No mundo sobrenatural do Japão, a coisa é um pouco mais complicada. O Tsuchigumo é um espírito maligno com (anote aí):

1) Olhos e pele de Tigre, 2) Pernas e Corpo de aranha, 3) Face de um Home m Demônio.

Ok, é meio difícil até de imaginar algo assim...

Essas criaturas do folclore japonês habitam lugares desertos ou afastados da civilização, em especial a beira de estradas, de baixo de pontes ou em casebres abandonados. Eles são extremamente ferozes, escalam paredes e se fixam no teto esperando que suas vítimas se aproximem de seus covis. Uma vez dentro de sua armadilha, eles se soltam do teto caindo sobre a presa, agarrando-a com as pernas de aranha e mordendo com a cabeça demoníaca. Em algumas versões, a cabeça solta uma bola de fogo esverdeado que consome a carne de suas vítimas deixando apenas um esqueleto enegrecido.

Os Tsuchigumo estão presentes em várias lendas de heróis e samurais andarilhos que vagam pelas estradas do Japão Feudal enfrentando coisas assustadoras e inesperadas. Uma das mais populares estórias a respeito desse espírito relata como um valoroso Kenseiden cortou a barriga de um Tsuchigumo fazendo com que nada menos do que 1990 (alguém deve ter contado!) crânios humanos semi-digeridos caíssem de seu estômago.

Horrível e bizarro, este espírito teve um revival nos anos 1940, quando um avião de combate fabricado para a Segunda Guerra foi apelidado de Tsuchigumo. Muitos modelos receberam uma pintura característica com listras de tigre na fuselagem.  

5 comentários:

  1. Pelo visto os irmãos Wachowski pegaram uma pitada de inspiração no Aka Manto hahahah
    Ótimo artigo! Japoneses e suas bizarrices que amamos

    ResponderExcluir
  2. Outro artigo incrível!

    Mas senti falta da criatura do folclore japonês que são mais Lovecraftianas como o Bakegujira http://yokai.com/bakekujira/ e o Akkorokamui http://yokai.com/akkorokamui/


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fique tranquilo, esse artigo sobre os mitos do Japão tem duas partes.

      Excluir
  3. No anime Histórias de Fantasmas que passava no canal Cartoon Network, um canal de desenho da TV acabo, tem um episódio que as crianças "enfrentam" o Aka Manto, só que a explicação para cada cor de papel é diferente, porém fico contente em saber que algumas daquelas histórias são baseados em fantasmas reais da cultura nipônica.

    ResponderExcluir
  4. Aff preconceito com porcos, são tão bonitinhos e deliciosos!

    ResponderExcluir