terça-feira, 23 de agosto de 2016

Mistério sem solução - A Bizarra e inexplicável morte de Elisa Lam


No mundo dos desaparecimentos e mortes estranhas, ocasionalmente surge um caso em particular, imbuído com uma aura tão incomum e bizarra, que acaba capturando a atenção das pessoas. São casos que parecem envoltos por um quase impenetrável manto de circunstâncias inexplicáveis, que nos provocam a examinar seus detalhes indecifráveis e nos fazem mergulhar cada vez mais fundo para tentar compreender o que de fato aconteceu. 

Um incidente dessa natureza envolve a trágica morte de uma jovem mulher na Califórnia. Ela morreu sob circunstâncias enigmáticas, deixando para traz pistas que não apenas aumentam o mistério, como continuam a nos surpreender e atiçar nossa imaginação. É um caso único que rapidamente atraiu a atenção pública como uma das mais surpreendente, misteriosas e inquietantes mortes das últimas décadas, amplamente discutida e debatida nos fóruns mundo afora. Para tentar explicar esse acontecimento, imerso em sombras indevassáveis, muitos recorreram a explicações sobrenaturais uma vez que não há suficientes argumentos para compreender à luz da normalidade, o que de fato aconteceu.  

Em janeiro de 2013, Elisa Lam, de 21 anos, uma estudante canadense da Universidade de British Columbia, embarcou em uma viagem por conta própria com destino à Costa Oeste dos Estados Unidos. Seu plano era visitar a cidade de San Diego, dali seguir para Los Angeles, Santa Cruz, e finalmente seu destino final, San Francisco. Ela escreveu extensivamente sobre seu roteiro e o que pretendia fazer nas mídias sociais, em páginas do Tumblr e Facebook, além de seu próprio blog. Elisa viajava sozinha, usando trens e ônibus de uma cidade para outra, e parecia estar muito animada com sua aventura. Durante a primeira parte de sua "Tour pela Costa Oeste", como ela chamava o roteiro, Lam entrou em contato com seus amigos e família, bem como postou fotos suas em lugares visitados, como o Zoológico de San Diego. Após passar alguns dias na cidade, ela resolveu seguir para Los Angeles, chegando no dia 26 de janeiro.

Lam se hospedou no Hotel Cecil, um modesto hotel localizado apenas alguns quarteirões de distância da infame e decadente Skid Row de Los Angeles (uma área famosa pelo tráfico de drogas e violência). A essa altura, algumas coisas já pareciam um tanto estranhas. Lam originalmente pretendia dividir suas acomodações com outras pessoas que conheceu na viagem, mas acabou alugando seu próprio quarto depois que alguns colegas reclamaram de certos "comportamentos esquisitos" por parte dela.


Em 31 de janeiro, Elisa Lam simplesmente desapareceu. Suas postagens nas mídias sociais pararam abruptamente e a correspondência diária de Lam com seus amigos e parentes foi cortada sem qualquer aviso. Uma busca foi organizada pelos pais de Lam, que viajaram até Los Angeles para ajudar no esforço de procura pela garota. O desaparecimento recebeu enorme destaque nos meios de comunicação, com manchetes nos principais jornais e programas de televisão. Todos queriam saber o paradeiro da jovem estudante canadense. A polícia revistou o Hotel de cima a baixo, chegando ao ponto de fechar o estabelecimento e trazer cães para farejar cada quarto e aposento. Até mesmo o telhado foi exaustivamente revistado, mas nada foi encontrado que pudesse levar até ela. Era como se Lam simplesmente tivesse sumido da face da Terra.

Havia poucas pistas nas quais se concentrar. O pessoal do Hotel relatou que Elisa foi vista sozinha naquele dia, mas que parecia estar bem disposta e de bom humor. Um atendente de uma livraria disse que a garota esteve em sua loja onde comprou alguns livros para auxiliar em seus estudos, ela parecia tranquila e bastante amigável. Além disso, não havia mais nada! Cada vez mais frustradas, as autoridades começaram a colar cartazes e distribuir flyers pela vizinhança, implorando para que qualquer pessoa que tivesse visto Elisa Lam se apresentasse para ajudar nas investigações. 

Enquanto isso a primeira pista do bizarro quebra cabeça, que iria se transformar em uma das mais estranhas mortes sem solução da história recente, surgia na forma de uma filmagem feita pela câmera de um elevador do hotel em que ela estava hospedada. Para todos os efeitos, aquela era a última imagem que se tinha da estudante antes dela desaparecer.

A filmagem é bizarra, para dizer o mínimo.

No vídeo, Lam pode ser vista entrando no elevador vestindo um casaco vermelho com zipper e capuz sobre uma camisa cinza, bem como calças pretas e sandálias. Seu comportamento é desconcertante beirando o errático do início ao fim. Depois de entrar no elevador, ela freneticamente aperta vários botões, mas nada acontece e as portas do elevador não se fecham. Ela parece claramente agitada a respeito de alguma coisa, como se temesse estar sendo seguida. Quando as portas do elevador não se fecham, ela espia para fora várias vezes, olha para os dois lados, e então rapidamente se encolhe num canto como se estivesse tentando se esconder. Seus olhos se mantém fixos no corredor como se esperasse que alguém passasse diante da porta aberta.

Então, cuidadosamente, ela sai do elevador e parece saltitar antes de retornar apressada para o elevador e sair uma vez mais. Todo tempo, suas mãos permanecem nos bolsos. Ela então some do ângulo da câmera e quando ressurge é possível ver que ela coloca as mãos sobre os ouvidos antes de entrar novamente na cabine e freneticamente apertar os botões uma vez mais. Em sua angústia, ela aperta metodicamente todos os botões de um lado e do outro do painel. Ela coloca as mãos sobre os ouvidos e parece esperar que alguém entre. Nesse momento, é possível perceber que ela parece conversar com alguém que não aparece na filmagem. Também é estranho como ela sinaliza com as mãos, como se estivesse gesticulando alguma coisa: esfregando os braços, movendo as mãos e torcendo os pulsos de uma forma quase ritualística. As portas do elevador não se fecham em nenhum momento. Finalmente, Lam se move para fora, caminha para o lado esquerdo e deixa a cabine, afastando-se da câmera. Após alguns instantes, as portas finalmente se fecham e o elevador sobe. Essa é a última imagem de Elisa Lam com vida.


O estranho e perturbador vídeo, tão logo foi liberado para a imprensa, tornou-se viral na internet. É inegável que existe algo ali que é profundamente perturbador, uma filmagem digna de um filme de horror. Haveria alguém perseguindo a jovem e por isso ela estava tentando se esconder? Qual seria o significado do estranho comportamento e dos gestos que ela parece reproduzir pouco antes de desistir de subir? Para onde ela foi logo em seguida? Por que as portas simplesmente não se fecham? E por que, apenas quando ela deixa a cabine o elevador volta a funcionar? 

À luz do misterioso desaparecimento, dezenas de teorias começaram a aflorar. Uma das mais populares é que ela estava tentando escapar de um perseguidor que não aparece na filmagem da câmera de segurança. Isso explicaria o comportamento arredio de Elisa que parece claramente tentar se esconder de um perseguidor desconhecido. Outra teoria aventada pelas pessoas é que ela estivesse drogada com alguma substância recreativa, como ecstasy, o que explicaria sua atitude. Mais tarde, as pessoas viriam a saber que Lam sofrera de um grave quadro de depressão e personalidade bipolar. Muitos suspeitaram imediatamente que ela estivesse enfrentando um episódio psicótico captado na filmagem. Ninguém sabia, mas o vídeo ainda iria se tornar mais estranho e sinistro quando uma horrenda descoberta fosse feita não muito tempo depois.  

Algumas semanas depois do desaparecimento de Elisa Lam, hóspedes do hotel começaram a se queixar da baixa pressão, de um gosto estranho e de uma cor amarelada na água do hotel. No dia 19 de fevereiro de 2013, um funcionário foi mandado para o telhado para verificar a caixa d´água, que fica no topo do prédio suspensa a dez metros de altura em uma área restrita e protegida com alarmes de segurança. Quando um dos tanques de água foi aberto, em seu interior descobriram o cadáver inchado de Elisa Lam. Ela estava completamente nua, coberta com uma substância que parecia ser areia, com suas roupas boiando na água ao seu redor. Foi determinado que ela estava flutuando na água, seu corpo em decomposição, no interior daquele tanque fétido há semanas.   

Tudo aquilo era incrivelmente esquisito!

O telhado do hotel possuía um sistema de segurança, com mais de dez alarmes sensíveis funcionando perfeitamente. Estes não poderiam deixar de soar caso alguém não autorizado tentasse abrir uma porta. Há várias barreiras e funcionários transitam por ali dia e noite. Além disso, a entrada da caixa se localiza em um lugar de difícil acesso, não havendo nenhuma escada, significando que Elisa com seus 1,65 e 60 quilos teria de escalar quase dez metros por uma grade de ferro até o alto, tirar a roupa, atirá-la para dentro do tanque e então saltar em seu interior. 


Também era estranho que ela tenha conseguido abrir a tampa no topo, visto que essa é extremamente pesada. As especulações sobre o ocorrido aumentaram ainda mais o interesse das pessoas pelo ocorrido. Como poderia uma mulher tão delicada passar por todos os sistemas de segurança, escalar a grade, abrir a tampa de ferro e se jogar no tanque sem que ninguém tivesse visto absolutamente nada? Por que ela teria removido suas roupas antes de pular? Ela teria feito tudo isso por conta própria, ou ela teve a ajuda de alguém? As estranhas circunstâncias em que o corpo de Lam foi encontrado incendiaram a internet com as mais bizarras teorias. A causa da morte havia sido afogamento como determinaram os legista. Havia uma quantidade suficiente se água em seus pulmões para determinar o afogamento, mas fora isso, nenhum ferimento. Teria sido um suicídio extremamente elaborado?

A verdade é que quanto mais se analisa o caso, mas estranho ele parece e menos certezas transparecem.

Primeiro havia a estranha filmagem da câmera do elevador , que agora, com a descoberta inesperada do cadáver, parecia ainda mais macabra.  As pessoas analisavam cuidadosamente cada movimento, cada gesto tentando compreender o que Elisa estava tentando fazer e o que aqueles movimentos poderiam significar.  Para muitos, a filmagem mostra apenas uma mulher frustrada tentando fazer o elevador funcionar. O fato dela esticar os braços repetidas vezes seria apenas a tentativa de acionar o sensor da porta para que este reconhecesse que ela já havia entrado na cabine. Sua agitação anormal seria apenas a reação de alguém que está irritado com as dificuldades técnicas de uma máquina. Quem nunca ficou irritado com um elevador que não funciona? Mas se é esse o caso, por que parece que Elisa está tentando se esconder de alguém no canto da cabine? Além disso, por que a porta não fecha e misteriosamente só volta a funcionar depois que ela desiste de usar o elevador?

Funcionários mencionaram que o elevador havia passado por reparos na semana anterior e que o técnico afirmou que ele estava funcionando perfeitamente. Nenhum hóspede reclamou de mal funcionamento e nenhum funcionário reportou algo errado com o aparelho. Os técnicos chamados para verificar o elevador não acharam nada de errado em seu funcionamento. Não há nenhuma explicação para ele não ter funcionado na ocasião em que Elisa esteve em seu interior.

Uma das teorias mais defendidas é que Elisa estivesse sofrendo de um colapso nervoso relacionado com depressão. Lam estava tentando superar alguns problemas pessoais, problemas estes que ela citou em mais de uma ocasião em seu blog pessoal que tinha um curioso slogan, cunhado pelo escritor Chuck Palahniuk: "Você sempre é assombrado pela ideia de que está desperdiçando a sua vida". 

Lam vinha tomando uma série de remédios controlados para superar seus prolemas, incluindo Wellbutrin e Lamictil, drogas poderosas que alteram o comportamento se tomadas de forma desordenada. Em uma entrada em seu blog ela reclama que por vezes era difícil tomar todos os remédios sem esquecer de nenhuma dose, e que em mais de uma ocasião esteve "relapsa", embora não haja provas de que ela tenha deixado de tomar as drogas prescritas. 


Seu blog oferece algumas pistas adicionais a respeito de sua condição mental. Seu tom parece flutuar de felicidade a tristeza repentinamente. Em determinados momentos ela parece determinada e satisfeita com sua vida, em outros dá a entender que está chateada e infeliz. Em uma mesma postagem seu ânimo oferece variações notáveis. Lam sugere que não está satisfeita com vários aspectos de sua vida: sua aparência física, seu comportamento social, seu modo de vida...

A estudante menciona em uma postagem ter sofrido algum tipo de violência sexual quando mais jovem, mas a maneira como ela relata o ocorrido é estranhamente imparcial, recheada de humor negro e sarcasmo. A família disse que Elisa jamais mencionou ter sofrido uma agressão dessa natureza. Quanto a sua viagem para a Califórnia, ela parece sempre muito animada, mas em outros momentos dá a entender que a "escapada" é uma ótima oportunidade de ficar longe de seus pais e amigos. Não obstante, até seu desaparecimento, Lam enviou mensagens eletrônicas quase que diariamente para várias pessoas próximas. Em momento algum ela parecia transtornada.

Alguns especulam que a depressão e a instabilidade mental tenham ocasionado um grave transtorno bipolar e psicose, e que isso fez Lam tomar a própria vida em um incontrolável frenesi de loucura. Talvez ela tenha abandonado as medicações, o que fez com que ela perdesse o controle, e aquilo que vemos no vídeo seja sua queda na insanidade. Talvez, conforme apontaram os pais e amigos, ela apenas tentasse passar a imagem de que estava feliz e bem ajustada durante a viagem, quando na verdade havia algum problema que ela desesperadamente ocultava. Lam afirmava que depois de suas férias, retornaria para o Canadá para concluir seus estudos, mas para alguns dizia não estar muito certa sobre seu futuro. Ela também mencionava em uma postagem que estava apaixonada por alguém, supostamente um colega da universidade. Embora sofresse de problemas pessoais, estivesse lutando contra a depressão, e que existisse a questão dela estar "se comportando de maneira estranha" segundo seus colegas, não parecia haver qualquer sinal claro de loucura. Lam não agia como alguém com tendências suicidas, como atestaram as pessoas que a viram antes de seu desaparecimento. Mesmo aqueles que citaram seu comportamento, dizem que ele se resumia a falar sozinha e roncar alto.

Além disso, se foi um caso de suicídio como Elisa teria feito para entrar no tanque de água? Além do fato do acesso ser bastante restrito, com vários obstáculos pelo caminho, ela não teria como saber que o sistema de água estava em funcionamento até abrir a tampa. A manivela para abrir a tampa é tão apertada que mesmo um homem forte teve enorme dificuldade em girar o registro. Como uma moça como Elisa Lam teria feito? De todas as maneiras, o tanque era intencionalmente mantido longe do acesso de estranhos por uma questão de segurança, para que ninguém pudesse contaminar o suprimento de água. De fato, o acesso ao tanque é tão difícil que as autoridades acharam mais fácil fazer um buraco na parte de baixo da caixa para remover o corpo do que removê-lo por cima. Não há como saber como a jovem poderia ter realizado a façanha de chegar até o telhado sem que ninguém a visse.

Diante da falta de uma explicação minimamente razoável para o ocorrido, muitas pessoas começaram a sugerir explicações sobrenaturais. E é nesse ponto que a misteriosa morte de Elisa Lam se torna ainda mais estranha e incomum.

Mas essas teorias bizarras serão analisadas na continuação dessa postagem. Fiquem conosco...

11 comentários:

  1. Wow, mais um ótimo texto !

    Que caso esquisito cara ! Deixa qualquer cético com a pulga atraz da orelha ...

    ResponderExcluir
  2. Alguem sabe se o blog dela continua no ar?

    ResponderExcluir
  3. Será que ela achou algum artefato sinistro, ou viu algo que não deveria? Alguma seita invocou uma criatura invisível para silenciar a pobre jovem... ou talvez uma terrível maldição causada por um artefato sinistro. Nunca se sabe.

    Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  4. Aguardem a conclusão desse artigo em duas partes. A coisa fica ainda mais estranha...

    ResponderExcluir
  5. Post ótimo! Aguardo a segunda parte.

    ResponderExcluir
  6. Lembro de alguma mídia estilo "caçadores de mitos", ter explicado várias coisas dessa história, mas mesmo após ver as explicações, continuo achando sinistro, sobretudo a cena do elevador, que é muito chocante.

    ResponderExcluir
  7. Outro ponto importante a ser notado é o fato de que, além de ela ter conseguido abrir a tampa do reservatório, muito pesada, como ela conseguiu fechar a mesma? Por dentro? Muito estranho

    ResponderExcluir