quinta-feira, 13 de outubro de 2016

O Exorcista está morto - Padre Amorth e sua luta contra o Mal


"Eu, medo de Satanás?
Não me faça rir!
É ele que deve ter medo de mim.".


Padre Gabriele Amorth

O mais conhecido Exorcista do mundo, responsável pela frase acima, está morto!

Se algo estranho estivesse acontecendo em uma casa na sua vizinhança, se alguma criança repentinamente começasse a falar uma língua morta ou se coisas voassem pelo ar, quem você chamaria? Mais de 70 mil pessoas, entre parentes e amigos preocupados chamaram nos últimos 50 anos o Padre Gabriele Amorth, Exorcista Chefe da Diocese de Roma, fundador e presidente da Associação Internacional dos Exorcistas.

Padre Amorth sempre foi uma pessoa polêmica.

Nascido em Modena em 1925, antes de se sagrar sacerdote, ele foi membro da Ação Católica e combatente dos Partisan durante a Segunda Guerra Mundial. Recebeu uma comenda por bravura depois de empreender um arriscado resgate de feridos no campo de batalha. Teria levantado uma bíblia e conseguido um cessar fogo com os alemães para que feridos fossem removidos, garantindo assim a sobrevivência deles. Licenciado em Direito, foi membro da Sociedade de São Paulo e ordenado monge em 1954.

Após escrever vários trabalhos a respeito de exorcismo e da Natureza do Mal, Padre Amorth foi nomeado Secretário da Diocese de Roma e responsável pela pesquisa e análise de casos supostamente envolvendo possessão demoníaca. Entre 1955 e 1961, ele esteve na África estudando casos de feitiçaria e possessão, além de aprendendo técnicas de exorcismo. Segundo rumores, nesse período ele presenciou mais de uma centena de rituais de exorcismo, tomando parte em vários deles.

Chamado de volta à Itália, Padre Amorth realizou palestras e seminários a respeito de suas técnicas de Exorcismo e Purificação Divina. Em um de seus livros, ele afirmou que viajava regularmente através da Europa, à serviço do Vaticano, verificando casos de Possessão. Pelas suas contas, ele deve ter testemunhado e realizado mais de 300 exorcismos.


Padre Amorth amava o filme "O Exorcista" (a produção original de 1973) que ele afirmava ser um retrato fiel (ainda que exagerado) da batalha espiritual entre o Exorcista e o Demônio que habita o corpo da pessoa afligida. Um de seus livros mais conhecidos e polêmicos "Revelações de um Exorcista" se dedicava a descrever três experiências do sacerdote, na África, na Itália e nos Países Baixos. Nessas ocasiões ele teria pessoalmente removido demônios, espíritos malignos e entidades de pessoas que manifestavam sinais claros de possessão.

O religioso foi consultor técnico para filmes de sucesso como "A Profecia", as sequências de "O Exorcista" e "O Ritual", ele jamais se negou a falar abertamente de sua carreira como "Caçador de Demônios" título que usava com orgulho.

"Falar abertamente dessas coisas, remove poder do Demônio! Tira dele a vantagem de nos chocar e nos aterrorizar com seu espetáculo maligno", dizia, e salientava que as pessoas deveriam se conscientizar de que o mal está sempre em ação, ele nunca descansa, se uma porta for aberta para essas entidades elas irão se aproveitar da oportunidade. "Quanto mais a pessoa se nega a ver essas coisas, maior o dano causado. Filmes tem o poder de mostrar o que nós fazemos, qual o papel de um Exorcista".

Padre Amorth acreditava que demônios podiam usar pessoas influentes e aproveitar de indivíduos com grande poder e influência para causar destruição. Em um de seus trabalhos mais controversos, ele supunha que todo Alto Comando Nazista estava, durante a Segunda Guerra, possuído por demônios.

"Se você pensar em tudo que Hitler, Stalin e outros foram capazes de fazer durante a Guerra... da quantidade de pessoas que eles seduziram e manipularam. Eu afirmo que eles tinham algum tipo de proteção demoníaca e mais, é provável que eles próprios fossem possuídos por demônios". 


De acordo com o Padre Amorth em outro de seus livros intitulado "Memórias de um Exorcista - Minha Luta contra o Demônio" o Vaticano tinha plena ciência da possessão demoníaca existente sobre Hitler. Ele aponta para documentos secretos nos quais o Papa Pio XII teria concordado com a realização de um Exorcismo à distância visando remover a influência maligna sobre Adolf Hitler. A cerimônia teria acontecido em 1944, em Roma, envolvendo importantes chefes religiosos convencidos que o Füeher estava tomado por um Poderoso Demônio devotado a levar a humanidade à beira da extinção.

Além de Hitler e Stalin, Padre Amorth afirmava categoricamente que várias pessoas, sobretudo chefes de estado como Muamar Kadafi e Sadan Hussein e assassinos em série, como Charles Manson, agiam sob os auspícios demoníacos, cumprindo interesses de entidades diabólicas. 

"Um demônio pode até corromper uma pessoa comum, um pobre coitado, mas é claro, eles preferem corromper pessoas influentes e poderosas, aqueles que tem grande potencial para desencadear o mal em grande escala".

A luta entre o Demônio e a Santa Sé chegou ao ápice quando o Turco Ali Agca tentou assassinar o Papa João Paulo II, que havia reconhecido o papel dos Exorcistas. Segundo o Padre, o demônio tentou ativamente eliminar um Papa disposto a enfrentar casos de possessão. Agca estava possuído e por pouco não conseguiu eliminar o Pontífice Máximo.

Em 2010 ele deu entrevistas dizendo que mesmo dentro do Vaticano haviam Padres e Cardeais disfarçados que na verdade eram membros de "Seitas Satânicas" que ele chamava de "Lobos em Pele de Cordeiro". Revelava também que o número de exorcismos havia aumentado nos últimos anos, sinal de que o demônio estava mais ativo do que nunca - o Padre contabilizou mais de 200 casos de possessão que haviam ocorrido nos Estados Unidos.

Sua busca implacável por sinais demoníacos fez com que ele declarasse que o cinema e a literatura estavam se deixando contaminar por elementos satânicos. Padre Amorth era um crítico contumaz da série de livros e filmes Harry Potter. Na sua opinião, o personagem servia ao propósito de popularizar a feitiçaria e fazer com que uma nova geração visse a feitiçaria como algo benigno. "Vejo a assinatura do demônio em todos esses livros, filmes e propagandas de Harry Potter".


Em 2015, em uma entrevista para a RAI foi a vez dele dizer que o maior risco para a humanidade era o ISIS, segundo ele, controlada secretamente por Satanistas interessados em disseminar a mácula do demônio na Terra.

"ISIS é Satã!" disse em sua última entrevista oficial em 2015.

Padre Amorth morreu dia 16 de setembro, em Roma, aos 91 anos. 

Sua saúde havia se deteriorado muito nos últimos meses em decorrência de problemas pulmonares, mesmo assim ele continuava trabalhando como Presidente de sua Associação, ainda que licenciado.

Para os que diziam não acreditar em Possessão, demônios ou exorcismos, ele tinha uma mensagem clara:

"O demônio conta com sua descrença! Mas quando acontece com você, ou com alguém próximo, bem, a maioria das pessoas muda de opinião. É claro, existem aqueles que sofrem de doenças mentais e precisam de um psiquiatra e não de um exorcista. Mas você se surpreenderia ao saber quantos casos são fruto do sobrenatural e não de insanidade."

Só o tempo dirá se nós estamos mais enfraquecidos agora que o mais famoso Exorcista do mundo deixou seu posto. 

A Guerra, é claro, continua.

5 comentários:

  1. Ótimo texto ! dá muitas ideias ! mas tenho que comentar uma observação minha ( pessoal ) para ele todos os " inimigos da homem ( Hitler , Stalin , Kadafi , Manson etc ) " estavam possuídos pelo demônio...até aí tudo bem...mas é engraçado que não citou vários outros que também poderiam estar possuídos pelo demônio ( Bush pai por exemplo ) então achei meio tendenciosa a visão dele dos possuídos...já que até mesmo Oppenheimer poderia estar possuído pelo demônio quando criou a Bomba Nuclear ( e também o Presidente Harry Truman que autorizou o bombardeio )...muito interessante o texto mas a visão do padre é tendenciosa...será que Trump também está possuído !?

    ResponderExcluir
  2. Tê achando que é esse padre que tava possuidasso pelo demo!

    ResponderExcluir
  3. Faça-me o favor...
    Noob kkkkkk!!!!!!!

    ResponderExcluir